Arquivo da tag: reeducação alimentar

Dieta e restaurante por quilo combinam?

Veja se é possível emagrecer mesmo comendo fora

Baratos e com uma grande variedade de alimentos, os famosos “quilinhos” são os favoritos de muitos. Principalmente, daqueles que não gostam de levar marmitas – ou que não conseguem se organizar para prepará-las. Aprenda a comer corretamente mesmo estando fora de casa com as dicas a seguir.

Procure seguir a ordem

Geralmente, as opções frias (saladas, verduras e legumes) vem primeiro e, depois, os pratos quentes com as opções principais. Por que é uma boa ideia seguir essa ordem? Pelo simples fato de que se você preencher boa parte do seu prato com saladas, verduras e legumes primeiro, a chance de exagerar na quantidade de outros alimentos mais calóricos é muito menor.

Tome cuidado com a disposição dos alimentos

Como dito no tópico anterior, geralmente, as opções frias vem primeiro e os pratos quentes vem depois. Só que geralmente não quer dizer sempre. Alguns restaurantes fazem questão de colocar as sobremesas antes do resto. Sendo assim, quando alguém chega no restaurante com muita fome, sua tendência é ceder, quase que de imediato, aos doces. Por isso, antes de agir por impulso, pense bem naquilo que você está fazendo antes de comer.

Seja simples

Quanto mais simples for a alimentação, maiores as chances de preservar uma boa qualidade nutricional. Aquela clássica combinação perfeita não deixa margem para erros: legumes, verduras, arroz, feijão e uma carne magra. Mas é claro que você pode fazer outras variações tão boas quanto esse prato. O importante é sempre procurar seguir esse modelo: um pouco de carboidratos complexos, proteínas de fonte vegetal, alguma leguminosa, salada e carnes magras. Fácil, rápido, delicioso e perfeito para seu corpo funcionar bem! Evite farofas, pratos à milanesa, molhos, torresmos, frituras e alimentos muito gordurosos.

Sobremesa?

Sabemos que as opções mais comuns de sobremesa em restaurantes não são, exatamente, boas opções para quem quer emagrecer. O que mais vemos são bolos, tortas e sorvetes. A melhor opção? Frutas! Você pode optar por um suco natural ou uma fruta para saciar aquela vontade louca de comer doces.

Use e abuse da variedade, mas com inteligência

A maior vantagem do restaurante por quilo é, com certeza, a variedade. Geralmente, quem faz marmitas tem uma dificuldade maior para variar os alimentos, visto que é mais fácil preparar sempre a mesma coisa. Nos “quilinhos”, esse problema não existe. Enjoou de arroz integral? Que tal tentar a batata-doce? E, se enjoar da batata-doce, que tal experimentar a mandioca ou a mandioquinha? Enjoou do frango? Por que não tentar alguns peixes? A variedade é enorme! Dificilmente, você vai enjoar de tudo. Lembre-se que a variedade na alimentação é um fator determinante para o seu sucesso na dieta. Pessoas que comem as mesmas coisas todos os dias estão mais suscetíveis a enjoar e desistir do emagrecimento.

Saiba mais:

Aprenda a fazer marmitas perfeitas para a dieta

6 maneiras criativas de incluir a quinoa no cardápio

4 erros comuns no preparo de lanches

Batata-doce: conheça os seus benefícios

Além de ser uma ótima aliada no emagrecimento, é super benéfica para a saúde!

Getty Images – Batata-doce

A batata-doce é uma das hortaliças mais cultivadas no nosso país. Embora seu uso só tenha ficado mais popular ultimamente, ela já é um alimento milenar! Originária da América Central do Sul, ela é encontrada desde o México até a Colômbia. Sua aparência pode variar um pouquinho, podendo ser amarelada, branca ou roxa.
Será que a batata-doce só ficou popular por se tratar de mais um modismo do mundo fitness ou será que ela, realmente, é um ótimo alimento para se incluir na alimentação?
Felizmente, a resposta correta é a segunda opção.

Batata-doce emagrece?

Como já sabemos, nenhum alimento por si só tem a capacidade de retirar a gordura corporal de alguém. O que emagrece é a qualidade da dieta por completo. Não adianta comer batata-doce o dia todo e depois se entupir de doces, certo?
No entanto, ela pode, sim, ajudar no emagrecimento. A batata-doce, por possuir alto teor de fibras e baixo índice glicêmico, ajuda você a se manter saciado por mais tempo. Além disso, alimentos com essa característica liberam o açúcar no sangue aos poucos – ao contrário dos alimentos com alto índice glicêmico – e promovem uma digestão mais lenta, que favorece a perda de peso.

Batata-doce faz bem para a saúde?

Com certeza, faz! É um alimento rico em vitamina A, vitaminas do complexo B, cálcio, fósforo e ferro. Ela também possui um amido resistente que, por ser uma fibra insolúvel, resiste às enzimas do intestino delgado – que não é capaz de digeri-lo – e atrai as moléculas de gordura e de açúcar, que é, também, o motivo de ser um alimento de baixo índice glicêmico. Esse mecanismo também ajuda na prevenção e tratamento de diabetes tipo 2!

Devo comer com a casca?

Você não vai morrer se comer sem casca. Contudo, se puder comer com a casca, será muito melhor. Só a casca da batata-doce pode ter mais vitamina C do que uma laranja inteira! Sem falar que é na casca que encontramos as fibras e o potássio. Que tal experimentar batata-doce assada sem tirar a casca? Fica uma delícia e contribui para a sua dieta!

Assada ou cozida?

Quando assamos a batata-doce, o índice glicêmico dela aumenta. Isso ocorre porque o calor desidrata o alimento e quebra os grânulos de amido. Quando cozida, o índice glicêmico não aumenta, pois a presença de água dificulta a quebra do amido.
Portanto, cabe a você escolher – de maneira inteligente – o momento ideal para consumi-la na forma assada ou cozida. Porém, se o objetivo é o emagrecimento, cozir será sempre a melhor opção.

| • Quer emagrecer sem deixar de comer o que gosta? Clique aqui e faça sua avaliação de peso. É de graça!

Saiba mais:

Como fazer marmitas saudáveis?

Kefir: conheça o alimento que promete emagrecer e melhorar seu intestino

O que comer à noite para não engordar?

Marmita saudável: como fazer?

Veja como manter a dieta mesmo comendo fora de casa

Getty Images

Para quem está correndo atrás do emagrecimento, marmitas são ótimas aliadas. Comer fora pode ser muito perigoso se você não tiver foco. Sim, você pode ir almoçar naquele restaurante por quilo baratinho que fica bem próximo do seu trabalho. Afinal, a variedade de legumes, verduras, saladas e proteínas é grande, o que pode ser ótimo para sair da mesmice na alimentação. Contudo, se você não tiver “maturidade”, logo irá sucumbir a outros tipos de variedades que esses restaurantes oferecem: frituras, alimentos gordurosos, petiscos e, claro, doces extremamente calóricos e com pouco valor nutricional.

Além desses fatores, marmitas também possuem uma outra ótima vantagem: você sabe a procedência da comida. É muito difícil saber, de maneira exata, o que foi incluído no preparo dos alimentos que vemos nos restaurantes. E, por isso, às vezes eles podem ser muito mais calóricos do que parecem.

Pote de vidro ou de plástico para a marmita saudável?

Por mais que aqueles potinhos de vidro possam ser um pouco mais pesados, eles ainda são a melhor opção. Quando aquecido, o plástico contamina alimentos com ftalatos e bisfenol, que, além de favorecer o ganho de peso, são compostos cancerígenos.

O que levar para comer no trabalho?

Escolha uma opção de carboidrato, de preferência, integral (arroz integral, macarrão integral, batata-doce ou mandioca). Inclua, também, uma proteína magra (peito de frango, peixe, carnes magras em geral), legumes refogados e/ou verduras. A quantidade depende da rotina e das necessidades calóricas de cada indivíduo.

Qual o tamanho ideal da marmita saudável?

Na verdade, não existe um “tamanho ideal”. No entanto, opte por marmitas que não sejam muito fundas, pois elas podem sabotar sua dieta. Faça um experimento: pegue a comida que você leva na marmita e transfira para um prato raso. Dessa maneira, você será capaz de ver se está exagerando ou não.

Não cabe tudo na marmita?

Que tal separar um potinho de plástico para os alimentos que não precisas ser aquecidos (salada, alguns legumes e verduras) e um pote de vidro para os outros alimentos que serão esquentados? Vale ressaltar que é sempre bom ter uma saladinha de entrada! Além dos benefícios à saúde, ela vai te dar mais saciedade, fazendo com que você não coma mais do que precisa.

• Quer emagrecer até 4 quilos por mês sem deixar de comer o que gosta? Clique aqui, e comece agora 🙂

Saiba mais:

Como lidar com os exageros na alimentação

O que comer à noite para não engordar?

Aprenda a montar lanchinhos saudáveis

Você tem fome de que?

Descubra os reais motivos que te levam ao excesso alimentar e emagreça.

Um dos grandes desafios para a maioria das pessoas é saber diferenciar a fome da vontade de comer, e aprender a comer somente quando estiver com fome.

De acordo com os dicionários, a fome é um processo fisiológico pelo qual o corpo indica que necessita de alimento para manter suas atividades compatíveis com a vida. Por se tratar de uma necessidade fisiológica, qualquer alimento consumido gera a sensação de saciedade.

Já a vontade de comer, pode surgir até mesmo quando a pessoa terminou uma refeição ela está geralmente associada a um alimento especifico e que traga prazer e satisfação. Neste caso, podemos até substituí-lo por outro alimento, mas o desejo permanece.

Para algumas pessoas os alimentos podem funcionar como “válvula de escape” para satisfazer insatisfações pessoais, no entanto esta atitude pode levar ao consumo excessivo de calorias, desencadeando um quadro de sobrepeso, uma vez que o individuo estará consumindo mais energia que seu organismo necessita.

Por isso é fundamental aprender a identificar se você está comendo por fome ou apenas por vontade, assim ficará mais fácil resolver as situações sem recorrer aos alimentos. Além disso, é essencial estabelecer uma rotina alimentar, estipulando horários para cada refeição, sempre respeitando o intervalo máximo de 4 horas entre cada uma e se a vontade permanecer por que não encaixar o alimento de desejo no lanche da tarde ou da manhã, por exemplo, mas esta substituição não deve ser feitas todos os dias.

E lembre-se: comer de forma adequada exige treino e comprometimento, por isso antes de ?atacar? aquele alimento, reflita: estou realmente com fome ou é apenas uma vontade? Essas calorias a mais valem mesmo à pena?

Com essa simples pergunta, você certamente obterá muitas respostas.

Gabriela Mendes Taveiros
Nutricionista Dieta e Saúde
CRN3 32089

Coma mais, malhe menos e emagreça

A receita é o segredo de quem alcança e mantém o peso ideal.

Não acredita na receita? Mas ela é possível, desde que você elimine da dieta tudo aquilo prejudica o seu emagrecimento. A prática regular de exercícios também é essencial e garante a obtenção de resultados mais rápidos.

“Mas, antes de começar, é preciso fazer uma avaliação física e nutricional, identificando o que precisa ser alterado nos seus hábitos”, afirma a personal trainer do Dieta e Saúde, Valéria Alvim. “Para emagrecer saudavelmente, não adianta ficar sem comer ou comer poucas vezes ao dia. Isso torna o seu metabolismo mais lento e dificulta a eliminação de peso”.

Emagreça comendo mais: significa comer várias vezes ao dia, somando cerca de seis refeições diárias. Isso ajuda a acelerar o seu metabolismo, de modo que você queime mais calorias. Além disto, fazendo seis refeições nutritivas e menores por dia, o alimento será processado com mais eficiência pelo corpo. Você, provavelmente, não vai sentir muita fome, ficando menos ansioso e com mais energia. É muito importante fazer um acompanhamento nutricional com uma dieta balanceada.

Emagreça malhando menos: significa que você terá melhores resultados fazendo um treino intenso e mais curto do que um treino leve e mais longo. Assim, você queimará mais calorias e, consequentemente, mais gordura num treino puxado de 20 a 30 minutos do que num treino muito leve de 1 hora. Os exercícios aeróbios de baixa intensidade e longa duração não são a melhor maneira de eliminar as gorduras e de emagrecer corretamente. “O treinamento de alta intensidade não só queima gordura com mais eficiência como também acelera o seu metabolismo e o mantém acelerado por mais tempo”, afirma Valéria Alvim. Segundo ela, 30 minutos de exercícios na intensidade certa para o seu corpo e para o seu nível de condicionamento físico são suficientes para trazer resultados mais rápidos.

Dentre os exercícios você poderá fazer:

– exercícios aeróbios seis vezes por semana: três vezes numa intensidade forte, de 30 minutos, e três vezes numa intensidade moderada de 20 minutos, em dias alternados ao treino forte;
-exercícios com pesos. Para mudar a sua composição corporal ou remodelar o seu corpo esses exercícios são essenciais. Quando você ganha músculos seu corpo requer mais energia para manter este músculo. Já a gordura não requer energia nenhuma para ser mantida. Ela fica ali.

Quem tem mais músculos tem um metabolismo mais acelerado e menor porcentagem de gordura. Se você só faz exercícios aeróbios, mesmo que coma menos, poderá emagrecer. Mas os seus resultados não serão os melhores se comparados aos de quem faz musculação ou exercícios com pesos.

Mude seu corpo: com o trabalho com pesos você muda a forma do seu corpo. “Se você tem o corpo em forma de pêra e começar um programa aeróbio, provavelmente irá terminar parecendo uma pêra menor. Mas, com os exercícios com pesos, você poderá compensar e mudar (um pouco) a forma do seu corpo, dando uma forma mais harmônica a ele. Você poderá, por exemplo, aumentar os ombros e a musculatura dos braços”, afirma Valéria Alvim.

A musculação poderá ser feita quatro vezes por semana em dias alternados, antes do treino de vinte minutos moderados. Nos outros dias, faça apenas os aeróbios de alta intensidade.

Nunca esqueça a importância dos alongamentos antes e depois de qualquer treino.

 
Valéria Alvim
Personal trainer Dieta e Saúde

6 dicas para comer bem no self service

Confira como não passar mais aperto!

Atualmente, os restaurantes self service são muito procurados, devido à diversidade de preparações que agrada a todos os paladares. Mas, e para quem deseja perder peso, será que é possível fazer escolhas saudáveis, que não irão comprometer a eliminação de peso? Para lhe ajudar, separamos algumas dicas. Fique atento!

Veja todas as opções: analisar todas as preparações disponíveis antes de montar o prato, irá te ajudar a decidir qual é o prato desejado, evitando possíveis exageros. Se você começa a se servir sem olhar todas as opções, você corre o risco de encontrar preparações que você gosta mais, e sua refeição ficar mais volumosa e calórica do que deveria.

 
Siga a ordem em que os alimentos estão dispostos: normalmente a disposição dos alimentos nos restaurantes self-service é iniciada com as saladas. Como esse grupo apresenta a menor quantidade calórica, iniciar sua refeição com esses alimentos irá te ajudar a montar um prato com diversidade de nutrientes, com poucas calorias e que ajudará em sua saciedade, já que os vegetais são ricos em fibras.

 
Cuidado com a variedade: esses restaurantes oferecem diversidade de preparações, desde as mais simples, as mais elaboradas. Dessa forma, se você pegar um pouquinho de cada alimento, terá um prato muito volumoso, e que ultrapassará sua necessidade calórica, que poderá levar ao aumento de peso. Por isso, moderação!

 
Divida seu prato em quatro partes: Uma parte ficará reservada para os vegetais crus e cozidos, outra para o acompanhamento (arroz, macarrão, batata), uma para leguminosas (feijão, ervilha, lentilha, grão de bico) e outra para o prato principal (carnes ou ovos).

 
Molhos e temperos: tenha moderação e atenção aos rótulos dos molhos industrializados! Dependendo do molho (quatro queijos, parmesão, rosé) são mais calóricos. Além das calorias, também observe a quantidade de sódio, conservantes e corantes, presentes nesses produtos. A melhor opção é o vinagrete, limão, vinagre ou azeite.

 
E quanto à sobremesa? As melhores escolhas são sempre as frutas, que são fontes de fibras, vitaminas e minerais essenciais para o funcionamento adequado do organismo. Não quer ou não consegue resistir ao doce? Escolha o mais simples e consuma um pedaço pequeno.

Com essas dicas, você perceberá que é possível se alimentar muito bem em restaurantes self service e ainda, emagrecer com saúde!

Gabriela Mendes Taveiros
Nutricionista Dieta e Saúde
CRN3 32089

Coma mais e emagreça!

Será que necessariamente é preciso passar fome para emagrecer?

Sem dúvida essa conversa de passar fome vai de encontro com um dos princípios mais importantes da Reeducação Alimentar. COMER A CADA 3 HORAS!

Essa é a recomendação mais comum para quem deseja perder peso ou mesmo alcançar os hábitos alimentares saudáveis. Mas afinal, você sabe por que esse hábito ajuda na eliminação e manutenção do peso?

A resposta é simples: diminuindo o intervalo entre as refeições você consome menores quantidades de alimentos e com isso o organismo não sente a necessidade de estocar energia em forma de gordura.

Com o menor intervalo entre as refeições a saciedade é favorecida e no momento da próxima refeição, você possivelmente ainda se sentirá saciado e consumirá apenas o necessário, evitando compulsões alimentares.

Desde o tempo das cavernas quando nossos antepassados passavam longos períodos em busca de alimentos e ao conseguir comiam grandes porções sem saber quando seria a próxima refeição, nosso corpo aprendeu que tudo o que é consumido em excesso deve ser estocado em forma de tecido de gordura, para ser utilizado futuramente durante um período de restrição.

Com a fartura de alimentos a nossa disposição hoje, fornecer ao corpo a quantidade de energia que ele precisa a partir de pequenas porções de alimentos a cada refeição, contribui para que o organismo não sinta a obrigação de economizar, ou seja, reservar a energia como gordura no corpo.

Viu, só!? Quem disse que para emagrecer é preciso passar fome? A grande saída para comer bem e ainda eliminar peso está nas ESCOLHAS!

Há duas formas bem diferentes de usar os seus pontos no almoço. Você pode consumir seus pontos assim:

cardapio1

Ou se preferir, você pode consumir seus pontos do almoço assim:

cardapio2

E aí, qual das duas refeições provavelmente estimulará mais a saciedade? O que prefere consumir 13 pontos com 2 alimentos ou consumir 9 pontos com 10 alimentos!?

Suas escolhas de alimentos tem impactos diferentes sobre a saciedade, sem falar na variedade de nutrientes que fornecerá ao seu organismo. Você pode consumir 10 pontos com chocolate, coxinha ou com uma refeição completa. E acredite cada um deles preencherá o estômago de formas diferentes.

imagem3
Bom, acho que já deu para perceber que seu controle de pontos e consequente sucesso na evolução de peso depende muito das escolhas. Por isso busque sempre comer mais, melhor e emagreça!

E não esqueça…

Moderação e equilíbrio são essenciais para a maioria de nossos hábitos no dia a dia, com a alimentação e principalmente com a nossa saúde não é diferente.

Ana Carolina Icó
Nutricionista Dieta e Saúde
CRN-3 34133

Carinhas novas =D

Pessoal, temos novidades para vocês!
A partir de hoje teremos algumas mudanças na Recomendação Saudável para melhorar ainda mais sua saúde e emagrecimento.

Veja o que mudou em cada grupo:

LEGUMES E VERDURAS
Agora serão 6 carinhas para deixar verde esse grupo.

Por que mudou?
Segundo a Organização Mundial da Saúde, para garantir uma dose adequada de vitaminas e minerais, e outras substâncias essenciais para o organismo, é necessário consumir no mínimo 400g de frutas, verduras e legumes. Para que você consiga atingir essa recomendação, aumentamos a quantidade de carinhas desse grupo.

CEREAIS INTEGRAIS, TUBÉRCULOS E RAÍZES
Agora serão 5 alimentos para deixar verde esse grupo.

Por que mudou?
Nossa intenção é aumentar a sua opção de alimentos nesse grupo, por isso, além dos cereais integrais você também poderá consumir tubérculos (batata, cará, inhame) e raízes (mandioca, mandioquinha, araruta) que sejam ricos em fibras. Só não vale deixar de comer os cereais integrais, combinado?

LEITES E DERIVADOS
A partir de agora os alimentos ricos em gordura e açúcar (leites integrais, iogurtes integrais e/ou ricos em açúcar, queijos gordos) não irão contar como recomendação saudável para esse grupo.

Por que mudou?
Para quem busca emagrecer as melhores opções para esse grupo são aquelas com baixo teor de gordura e açúcares como os leites e iogurtes desnatados ou semidesnatados e os queijos magros.

CARNES E OVOS
Para te ajudar a consumir uma quantidade ideal de proteína animal em seu dia, agora você irá contar com a recomendação de carnes e ovos.

*Para os ovos o ideal é que seu consumo não ultrapasse duas vezes na semana.

O que conta?
Carnes com baixo teor de gordura (carnes magras);
Peixes com baixo e alto teor de gordura (gorduras boas);
Ovos e derivados cozidos ou assados.

O que não conta?
Carnes fritas, empanadas ou gratinadas;
Carnes com alto teor de gordura (carnes gordas);
Embutidos e processados.

GORDURAS BOAS
Estudos recentes demonstram que o consumo de gorduras boas ajuda a diminuir o processo inflamatório no organismo de quem está acima do peso. Por esse motivo, agora você contará uma recomendação de gorduras boas para te ajudar no processo de emagrecimento.

O que conta?
Oleaginosas e sementes, frutas ricas em gorduras boas (abacate e açaí), óleos vegetais, peixes gordos.

O que não conta?
Oleaginosas ricas em sódio ou açúcar, gordura animal como manteiga, banha ou toucinho, margarina ou gordura vegetal, peixe empanado, frito ou gratinado, peixes com baixo teor de gorduras boas, embutidos e processados.

 

Bruna Pinheiro
Nutricionista Dieta e Saúde
CRN-3 35001

Quer mais cor e sabor para seus pratos? Invista nos legumes e verduras!

Oi pessoal!

Essa semana nossa nutri Carol recebeu algumas dúvidas de pessoas que não gostam e legumes e verduras, e tem dificuldade de entender o porquê precisamos desses alimentos. Pensando nisso, ela escreveu um pouco sobre alguns nutrientes que encontramos nesse grupo alimentar. 🙂

Os benefícios dos legumes, frutas e verduras estão relacionados em sua maioria aos pigmentos responsáveis por sua cor e que atuam no organismo prevenindo danos às células e, consequentemente, o envelhecimento precoce e o desenvolvimento de alguns tipos de cânceres. Por isso, vale a pena conhecer todos os benefícios que as cores têm a oferecer para nossa alimentação.

Frutas, legumes e verduras de cor vermelha e alaranjada como o tomate, cenoura, abóbora e pimentão contêm elevadas quantidades de licopeno, um componente da vitamina A importante para a saúde dos olhos e pele.

foto2

O licopeno é também um potente antioxidante que se mostrou eficiente na prevenção de doenças cardiovasculares e cânceres, em especial o de próstata. A vitamina C, nutriente associado ao bom funcionamento do sistema imunológico é o principal nutriente encontrado em legumes de cor amarela como o pimentão.

Brócolis, espinafre, rúcula, agrião, almeirão, couve e outras hortaliças de cor verde escura são ótimas fontes de cálcio, fósforo e ferro, minerais essenciais para o fortalecimento de ossos e dentes, diminuição da fadiga e produção de glóbulos vermelhos do sangue respectivamente. Essas hortaliças apresentam ainda alto teor de vitamina K, nutriente fundamental para o processo de coagulação do sangue.

foto3

A cor roxa da beterraba, berinjela, repolho roxo, alcachofra e cebola roxa está relacionada à presença de antocianinas, compostos antioxidantes que auxiliam na prevenção de cânceres e doenças cardiovasculares.

foto4

 

foto5

Já os legumes e verduras de cor branca como alho, couve-flor, nabo, aipo e cebola branca são ricos em vitaminas do complexo B que auxiliam na produção de energia e bom funcionamento do sistema nervoso. O alho tem como principal composto ativo a alicina, um componente liberado quando o alimento é macerado ou cortado e que possui ação anti-inflamatória, antiviral, antibacteriana, além de favorecer a diminuição da oxidação de colesterol reduzindo o risco para doenças cardiovasculares.

foto6

foto7

Lembre-se que um prato colorido tem o conjunto de compostos (antioxidantes, vitaminas e minerais) que seu corpo precisa para funcionar diariamente em equilíbrio, se desintoxicar (sim, comer um prato colorido é verdadeiramente detox!) e prevenir doenças.

Capriche na cor do seu prato e varie ao máximo os legumes, verduras e frutas. Não se esqueça de completar com cereais integrais! Nada de pratos sem cor, ok!?

Ótima semana para todos! =D

Ana Carolina Icó
Nutricionista Dieta e Saúde
CRN3: 34133

Como aproveitar o Carnaval sem atrapalhar seu emagrecimento

Adapte seu cardápio para os dias de folia! Aproveitar o carnaval é importante sim, porém não se pode perder o foco da dieta. Manter o ritmo e não exagerar nas comidas e bebidas é importante para que não haja desmotivação na dieta. O segredo está no equilíbrio entre a folia e a alimentação.

Para que a saúde não seja prejudicada no carnaval, veja alguns cuidados que você deve tomar em relação à alimentação e assim, esteja bem na Quarta-feira de Cinzas!

Antes de cair na folia:

– Coma bem antes de sair de casa!
Seu corpo precisa de energia para aguentar a festa de carnaval, por isso antes de sair de casa consuma alimentos fontes de carboidratos e proteínas.

Evite frituras, doces e alimentos gordurosos, pois eles demoram mais para serem digeridos podendo causar mal estar durante a diversão!

Sugestões:
Vitaminas: leite ou iogurte desnatado batido com frutas, como por exemplo, leite com banana e aveia, leite com mamão e chia, iogurte desnatado com granola, leite com morango e chia.
Sanduiches: pães integrais de forma ou francês com geleia, queijo branco ou mel.
Lanches: barrinha de cereal, biscoitos ou torradas integrais com geleia, queijo branco ou mel.

 
Durante a folia:

– Hidrate-se!
É essencial durante toda a folia, seja em blocos de rua, em trios elétricos, festas, show ou na avenida, manter a hidratação! Quando nosso corpo fica desidratado pode ocorrer alteração na temperatura corporal e podem surgir sintomas como dor de cabeça, cansaço e fraqueza.

Além de dois litros de água por dia, se sua festa durar mais de uma hora, complemente a hidratação através de bebidas isotônicas, água de coco ou suco de frutas naturais, pois além de hidratar, irão dar energia e repor nutrientes!

Lembre-se que a principal causa da ressaca é a desidratação, portanto se você costuma ingerir bebida alcoólica, no carnaval tome bastante água antes, durante e depois, assim você acordará bem e aproveitar todos os dias de festa.

– Jamais deixe de comer!
Sabemos que nesses dias de carnaval o horário das refeições acaba sendo alterado, porém é importante atentar-se e não esquecer a regra básica: Sempre comer de três em três horas!

Muitas pessoas, principalmente aquelas que gostam de consumir bebidas alcoólicas, optam por cortar alimentos, o que é desaconselhável uma vez que precisamos das energias vindas dos alimentos para não passar mal e acabar perdendo a diversão!

Frutas, barrinha de cereal, biscoito ou bolacha integral são alimentos práticos para carregar e darão energia para aguentar a festa!

– Beba Moderadamente!
Se você não consegue passar o carnaval sem deixar de consumir bebidas alcoólicas atente-se na quantidade! Além de serem pouco nutritivas, possuem muitas calorias! Saiba que somente uma latinha de cerveja contém aproximadamente 120 calorias.

Intercale a bebida com copos de água, suco ou água de coco e alimente-se bem. Dessa forma bebe-se menos, uma vez que o estômago fica cheio reduzindo o espaço para bebidas em excesso!

Para controlar sintomas como enjoo, azia e queimação que possam surgir com o consumo de álcool, consuma frutas cítricas (laranja, lima, limão, tangerina), evite alimentos de difícil digestão (doces concentrados, frituras), café, chá mate, e líquidos durante as refeições principais.

 
Depois da folia:

– É importante almoçar e jantar!
Essas refeições contêm muitos nutrientes importantes para repor as perdas gastas durante a folia!

Faça uma refeição completa composta por uma fonte de carboidrato simples, uma fonte de proteína, verduras e legumes.

Opções do que colocar no prato:
-Carboidrato: arroz, purê, massa, batata, mandioca, milho;
-Proteína: peixe, frango, ovo ou carnes vermelhas que tenham menor teor de gorduras, como capa de contra filé, patinho, coxão duro;
-Leguminosa: feijão, grão de bico ou lentilha;
-Verduras: agrião, alface, couve, espinafre;
-Legumes: cenoura, beterraba, pepino, chuchu.

Através dessas dicas é possível manter uma boa alimentação permitindo que as boas vibrações e energia do carnaval influenciem positivamente a dieta durante o ano! Aproveite!