Arquivo da tag: leite

Leite de coco: benefícios, como usar, contraindicações e receita caseira

O leite de coco é extraído da polpa do fruto do coqueiro, um dos principais recursos vegetais da humanidade. Rico em nutrientes essenciais, o leite é muito usado para fins medicinais, alimentícios e agroindustriais.

Ele é rico em gordura saturada boa, que é rapidamente digerida e transformada em energia. Metade das gorduras boas do leite de coco é composta por ácido láurico, que melhora o colesterol e possui efeito contra vírus e bactérias. Além disso, o leite de coco apresenta uma pequena quantidade de vitamina C, cálcio, magnésio, fósforo, zinco, proteína e uma boa quantidade de potássio, ferro e ácido láurico.

O leite de coco pode ser feito em casa, usando a fruta. Dessa maneira você consegue a bebida sem nenhum aditivo e ainda pode aproveitar todos os nutrientes. Confira os benefícios desse alimentos e como fazê-lo em casa:

Benefícios do leite de coco

Perda de peso: Novas pesquisas vêm mostrando que as pessoas que incluem mais gorduras saudáveis ??em sua dieta, como os triglicérides de cadeia média (TCM), comem menos do que aqueles que não consomem gordura.

O consumo da gordura do coco associada a uma dieta equilibrada auxilia na perda de peso, pois os TCM são absorvidos no intestino e transportados para o fígado, onde são oxidados e rapidamente se transformam em energia, logo, não há armazenamento dessa gordura no corpo. Além disso, os TCM induzem a saciedade, auxiliando assim no controle da fome.

Pele e cabelos saudáveis: Os ácidos graxos no leite de coco são um antisséptico natural e podem ajudar a tratar a caspa, infecções de pele, feridas e pele seca e pruriginosa. Além disso, o alto teor de ácidos graxos no leite de coco serve como um hidratante natural para a pele saudável e pode ajudar a reparar rugas e flacidez no envelhecimento da pele.

Um estudo realizado em 2003 mostrou que o óleo de coco, presente no leite de coco, tem potencial hidratante e pode promover melhora na elasticidade da pele. Por conter ação antioxidante, também age contra a ação dos radicais livres que estão associados com o envelhecimento precoce da pele. Este mesmo estudo também relaciona o uso de óleo de coco na redução do dano capilar, porém a ação não é bem esclarecida.

Ajuda a reduzir os riscos de anemia: O leite de coco apresenta 1,6 mg de ferro por 100g de alimento. Esta quantidade é significativa e pode sim ajudar a reduzir os riscos de anemia.

Controle do colesterol: Estudos vêm mostrando que sua gordura saturada não aumenta o colesterol como era a grande preocupação. Ou seja, ele não aumenta, o que acaba ajudando a manter o controle do colesterol.

Fortalece o sistema imunológico: A gordura do leite de coco é importante no fortalecimento do sistema imunológico. O leite de coco contém ácido láurico, lípidos antimicrobianos e ácido cáprico, que possuem propriedades antibacterianas, antifúngicas e antivirais. O corpo converte ácido láurico em monolaurina, que pode combater os vírus e bactérias.

Como usar o leite de coco

O leite de coco pode ser utilizado substituindo o leite de vaca e consumido puro. Pode ser acompanhado de cacau em pó, canela ou café. Além disso, ele é utilizado como uma base de cozimento em várias receitas, como bolos e panquecas.

Outras opções são para o preparo de mingau ou sopas, e no preparo de peixes e legumes.

Não existe quantidade ideal a ser consumida, porém nenhum alimento deve ser consumido em grandes quantidades. Devemos ter uma alimentação variada. O leite de coco deve ser introduzido no lugar do leite.

O leite de coco também pode ser usado para hidratação da pele e cuidados com o cabelo. Por ser extremamente nutritivo, ele pode deixar a pele saudável e ajudar na recuperação da flacidez. Além disso, é um hidratante natural para os cabelos, além de possuir ácidos graxos, o que pode ajudar no combate contra a caspa e feridas,

Contraindicações

Embora seja um alimento muito nutritivo, é calórico e deve ser consumido com moderação.

Perguntas frequentes

Em termos nutricionais, o leite de coco pode substituir o leite materno?

R: Não. O leite materno apresenta uma composição única e perfeita para os bebês. Porém, o leite de coco pode ser adicionado ao plano alimentar quando o bebê passar a ingerir outros líquidos e alimentos. Isso porque o ácido láurico da bebida também está presente no leite materno. Ele é responsável por combater infecções e impulsionar a imunidade.

O leite de coco pode substituir o leite de vaca em casos específicos, como de intolerância à lactose?

R: O leite de coco caseiro é uma opção saudável e saborosa para pessoas com intolerância à lactose ou alergia aos compostos do leite de vaca. Estudos científicos mostram que grande consumo de leite de vaca, somado a uma alimentação rica em açúcares e refinados, pode gerar processos alérgicos e inflamatórios. O leite vegetal, por ser natural e puro, não contém aditivos alimentares ou substâncias químicas. Além disso, ele contém mais nutrientes quando comparado com leite de vaca industrializado.

Receita de Leite de coco caseiro

O leite de coco pode ser preparado na cozinha de casa, apenas batendo no liquidificador a polpa do coco e adicionando água quente para então coá-lo. O preparo pode ser repetido algumas vezes para conseguir consistências diferentes: mais concentrados ou com sabor mais leve.

  • Rendimento da receita: 1 litro de leite de coco

Ingredientes

  • 1 xícara de polpa de coco ralada ou picados
  • 5 xícaras de água quente

Preparo

Coloque a água para ferver. Apague o fogo e adicione o coco. Você pode ralar o coco para facilitar no preparo. Deixe por 15 minutos na água. Liquidifique essa mistura e em seguida coe com a ajuda de um coador de pano próprio para coar. Se quiser o leite mais concentrado, reduza a quantidade de água e repita o processo por mais 2 vezes usando o mesmo coco do início da receita.

O resíduo da polpa do coco que sobrar poderá ser usado em receitas ou desidratado no forno. Guarde o leite de coco pronto em uma garrafa com tampa sob refrigeração por até 3 dias.

Fontes

  • Paula Crook, nutricionista da PB Consultoria em Nutrição
  • Izabelle Coe, especializada em Nutrição Esportiva, com MBA em Segurança Alimentar

Conteúdo tirado do Site Minha Vida

10 alimentos fonte de cálcio

Quando se fala em cálcio, instantaneamente nos lembramos do leite. Não é à toa. Ele é a principal fonte desse nutriente em nossa dieta. Vale lembrar, entretanto, que não é a única e aqueles que sofrem de alergia ao leite ou intolerância à lactosedevem ficar atentos a isso. Mas, afinal, por que ele é tão importante? Segundo o nutrólogo Roberto Navarro, da Associação Brasileira de Nutrologia, o cálcio é fundamental, entre outras funções, para a formação da massa óssea, para a coagulação sanguínea e para a contração muscular. Ele explica também que a necessidade diária desse mineral varia conforme a idade, chegando a 1.200 miligramas por dia após os 50 anos. Para garantir o consumo recomendado, portanto, listamos outras boas fontes de cálcio que não contém leite:

Tofu

De acordo com o nutrólogo Roberto, o tofu apresenta maior quantidade de cálcio do que o leite. Enquanto 100 g de leite contém 100 mg de cálcio, em 100 g de tofu há 159 mg de cálcio. O problema, segundo o especialista é a biodisponibilidade. “Absorvemos melhor o cálcio de alimentos de origem animal do que os de origem vegetal”, explica, Mesmo assim, esse derivado da soja é uma boa fonte do nutriente, assim como é rico em proteínas, fósforo e magnésio. Para completar, ele ainda oferece poucas calorias: apenas 70 kcal em 100 g.

Brócolis

brócolis cru contém 400 mg de cálcio em 100 g, mas consumido desta maneira diminui a eficiência da tireoide, podendo até levar a um quadro de hipotireoidismo. Por isso, recomenda-se ingerir o alimento cozido ou no vapor. “Ao submetê-lo ao cozimento, entretanto, ele perde cerca de 70% da quantidade inicial de cálcio, enquanto que, no vapor, ele perde cerca de 25% da quantidade inicial do nutriente”, explica o nutrólogo Roberto. Prefira, portanto, consumir o brócolis no vapor e aproveite outros nutrientes, como ácido fólico, antioxidantes, fibras e vitaminas A e C.

Sardinha

“A sardinha, assim como outros peixes de água fria, é conhecida por ser fonte de uma gordura boa para o coração: o ômega 3“, afirma a nutricionista Cátia Medeiros, da Atual Nutrição, em São Paulo. Mas o alimento, que pode ser consumido assado, grelhado ou até em patê, também é rico em cálcio. Cada 100 g de sardinha oferece 500 mg do mineral. O peixe também é um alimento de fácil digestão e altamente recomendado para atingir as recomendações diárias de ingestão das vitaminas A e D.

Espinafre

Alimento antioxidante e fonte de fibras, o espinafre também é rico em cálcio. Cada 100 g do vegetal contém 160 mg do nutriente. “Outra característica do espinafre é o alto teor de ferro que faz com que ele seja bastante indicado a pessoas que sofrem de anemia ferropriva“, aponta a nutricionista Cátia. A hortaliça pode ser consumida sozinha em saladas ou lanches simples ou cozido.

Semente de gergelim

A semente de gergelim costuma ganhar destaque por atuar como coadjuvante na perda de peso graças a alta concentração de fibras, conhecidas por proporcionar saciedade. Entretanto, outros nutrientes, como o cálcio, também podem ser encontrados na semente: 400 mg de cálcio em cada 100 g do alimento. Nutricionistas também a recomendam para regularizar o trânsito intestinal e controlar a glicemia. Por fim, estudos mostram que as gorduras insaturadas presentes na semente de gergelim agem de forma positiva na regulação do colesterol e do triglicérides.

Soja

Alimento inseparável dos vegetarianos, a soja também se mostrou importante na dieta de mulheres na menopausa. “As isoflavonas, espécie de hormônio vegetal, nela presentes ajudam a diminuir as ondas de calor e outras alterações típicas dessa fase da vida feminina”, explica o nutrólogo Roberto. O vegetal também é rico em cálcio, apresentando 90 mg do mineral a cada 100 g. Sua versão em farinha ou leite, entretanto, apresentam o nutriente em maior concentração. São 280 mg de cálcio a cada 100 g de farinha ou leite de soja.

Linhaça

Uma porção de 100 g de linhaça contém 200 mg de cálcio, mas, segundo o nutrólogo Roberto, é recomendado ficar atento a esse alimento por ser altamente calórico. Essa mesma quantidade oferece cerca de 490 calorias. “A linhaça também é fonte da gordura poli-insaturada ômega-3 que previne contra doenças cardiovasculares”, diz a nutricionista Cátia.

Grão de bico

“Da família das leguminosas, o grão de bico proporciona benefícios similares aos da soja, exceto pela isoflavona”, aponta o nutrólogo Roberto. A cada 100 g do alimento, são obtidos 120 mg de cálcio. Outras vantagens do consumo é a sensação de saciedade, melhora do fluxo intestinal e obtenção de proteínas.

Aveia

Por não ser cara e oferecer maior quantidade de fibras dentre os cereais, a aveia não costuma ficar de fora do cardápio de quem está de dieta. “Um benefício de destaque do alimento, entretanto, é a diminuição do colesterol ruim (LDL)”, lembra a nutricionista Cátia. O que pouca gente sabe é que ela também é rica em cálcio, oferecendo 300 mg do mineral a cada 100 g do cereal. O alimento cai bem em receitas de pães e bolos e misturado com mingau ou frutas.

Chia

Semente rica em ômega 3, fibras, ferro e proteínas, a chia não podia ficar de fora da lista. Cada 100 g do alimento contém 556,8 mg do mineral. A chia ainda é conhecida por proteger o coração, melhorar o sistema imunológico, combater cãibras e auxiliar no funcionamento do sistema nervoso.

 

Conteúdo tirado do Site Minha Vida

Os benefícios do leite para a sua dieta

Desde a infância, ele faz parte da alimentação da maioria das pessoas. Apesar das controvérsias sobre beber ou não leite, a maioria dos especialistas concorda que ele é ótimo para a saúde, salvo algumas exceções como no caso de quem tem alergia à sua proteína.

O alimento oferece uma proteína de altíssima qualidade, que é muito bem aproveitada pelo organismo. E também tem cálcio de sobra, mineral importante para os ossos.
Além disso, o leite tem vitaminas A, que colabora no crescimento, e vitamina B, que ajuda a regular a utilização de proteínas, gorduras e açúcares no organismo. Outros nutrientes presentes são o fósforo, que colabora na formação dos ossos e o manganês, importante no aproveitamento das gorduras e no funcionamento do cérebro, além de aminoácidos fundamentais à saúde.

Por ser rico em triptofano, um aminoácido que auxilia na formação do hormônio do bem-estar, ele é uma excelente opção antes de dormir.

O consumo de leite é importante nos diversos períodos da vida. Na infância, participa no desenvolvimento e formação do organismo fornecendo proteína, sais minerais e gordura; na adolescência, o leite fornece condições para o rápido crescimento com ótima constituição muscular e óssea e, para pessoas idosas, é fonte principal de cálcio, fundamental na manutenção da integridade dos ossos.

Para adultos e idosos, é indicado o consumo de leite desnatado devido ao reduzido teor de gorduras, para evitar o desenvolvimento e agravamento de doenças, tais como as dislipidemias. Já crianças e adolescentes devem consumir preferencialmente leite e derivados na forma integral, para o perfeito desenvolvimento do crescimento.

A falta de alimentos fontes de cálcio implica em maior risco de desenvolver osteoporose, principalmente para as mulheres, sendo esta uma doença que atinge todas as idades e é caracterizada pela reduzida massa óssea, levando à fragilidade mecânica e posteriormente, a fraturas.

Alguns estudos realizados em pessoas saudáveis demonstram que consumir alimentos de origem láctea pode melhorar a qualidade nutricional da dieta sem aumentar significativamente a ingestão de calorias, ou mesmo do peso corporal. Pesquisas referem, que a ingestão moderada de leite e cálcio reduz significativamente o risco de câncer colorretal.

Um pesquisa demonstrou que o consumo de leite pode reduzir a ocorrência de síndrome de resistência à insulina nos indivíduos com sobrepeso e, em indivíduos obesos, pode reduzir a ocorrência de diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares.

Outro estudo comprovou que o consumo de produtos lácteos pode estar relacionado à redução da pressão arterial e de acidente vascular cerebral. O leite contém quantidades significativas de cálcio, magnésio e potássio e, provavelmente, a correlação entre estes minerais pode contribuir para a redução da pressão arterial e do acidente vascular cerebral.

 

Bruna Pinheiro
Nutricionista Dieta e Saúde
CRN-3 5001

Fonte consultada: TOMBINI, H.; DALLACOSTA, M. C.; BLEIL, R. A. T.; ROMAN, J. A. Consumo de leite de vaca entre agricultores. Alim. Nutr., Araraquara, v. 23, n. 2, p. 267-274, abr./jun 2012.