Arquivo da tag: frutas

Goiaba aumenta a imunidade e ajuda a emagrecer

Com um cheiro inconfundível, a goiaba é uma fruta que traz inúmeros benefícios para a saúde. Além de minerais e vitaminas, possui quantidades consideráveis de fibras.

Benefícios da goiaba

Perda de peso

Devido a alta quantidade de fibra, a fruta ajuda a aumentar a saciedade, retarda a absorção de carboidratos, evitando picos de glicemia que favorecem o acúmulo de gordura, além de prevenir a constipação.

Melhora do sistema imunológico

A goiaba possui cerca de 4 vezes mais vitamina C do que a laranja; substância que ajuda a reforçar o sistema imunológico, garantindo a proteção contra infecções, gripes e resfriados.

Bom para quem tem diabetes

A goiaba possui um baixo índice glicêmico e é rica em fibras. Esses fatores auxiliam a evitar picos de glicose e insulina sanguíneas, que devem ser muito bem controlados em pacientes com diabetes.

Prevenção do câncer

A goiaba possui uma combinação de vitamina C, licopeno, quercetina e polifenóis. Todos esses compostos presentes na fruta são potentes antioxidantes e fazem com que a fruta seja um poderoso alimento na prevenção de diversos tipos de câncer, entre eles o de próstata, de mama, de pele, de cólon e pulmonar.

Anti-envelhecimento

Vitaminas A e C, licopeno, caroteno e outros antioxidantes presentes na fruta protegem contra os danos de radicais livres que levam ao envelhecimento precoce, formação de rugas e marcas de expressão. Consumir a goiaba auxilia também na renovação celular.

Saúde do coração

O potássio é um nutriente importante para a saúde do coração e vasos sanguíneos, e está bastante presente na fruta. Seu consumo ajuda a melhorar o balanceamento entre entre sódio e potássio no organismo, ajuda a reduzir a pressão arterial em pacientes hipertensos, a reduzir triglicérides e colesterol ruim (LDL), a aumentar o colesterol bom (HDL) e com isso prevenir uma série de doenças cardiovasculares em que esses podem ser fatores de risco.

Melhora da saúde dos olhos

O elevado índice de vitamina A da fruta é extremamente importante para a saúde visual, ela previne a degeneração macular, o desenvolvimento de cataratas e de cegueira noturna.

Favorece o desenvolvimento fetal

Para as grávidas, a fruta pode ser uma ótima opção porque possui ácido fólico, essencial para a formação do sistema nervoso do feto.

Conteúdo tirado do site Vix

Benefícios do kiwi

A origem do kiwi está nas regiões montanhosas do Sudeste da China e no Brasil, a fruta foi introduzida no interior do estado de São Paulo, no município de Campos do Jordão, no ano de 1970, no entanto, a cultura alcançou maior expansão nos estados localizados no sul do país, mais precisamente no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Para que haja frutificação, há necessidade de se plantar variedades que produzem flores femininas (produtoras) e aquelas que produzem flores masculinas (polinizadoras).

O kiwi é uma cultura de introdução relativamente recente em nosso país. Os estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Paraná e Minas Gerais são atualmente os maiores produtores, mas o país importa grande parte das suas necessidades do Chile.

Os frutos possuem um sabor levemente azedo, tem formato oval e achatado. Possui uma casca de cor marrom clara, coberta por pequenos pelos. A polpa da fruta é de cor esverdeada, apresentando diversas sementes pequenas e pretas no centro e devem ser colhidos ainda bem firmes e mantidos em depósito para completar a sua maturação. Completado esse procedimento, estarão aptos para o consumo.

Nutrientes do kiwi

O kiwi possui pectina, uma fibra importante para controlar os níveis de colesterol no sangue. O alimento não possui colesterol e contem magnésio, cobre, vitamina B6, niacina, vitamina A, riboflavina, cálcio, zinco, ferro, potássio, fósforo e os aminoácidos glutamato e arginina.

As categorias principais de fitoquímicos encontrados no kiwi incluem B-caroteno, compostos fenólicos e flavonoides, entre outros, que possuem capacidade antioxidante. É uma das poucas frutas de coloração verde quando madura, sendo a clorofila responsável pela cor verde.

O kiwi é uma fonte muito importante de ácido fólico. Na gravidez, em fase de crescimento e em situações de cicatrização, o ácido fólico tem um papel fundamental. Possui baixo teor calórico – cada 100 gramas tem aproximadamente 50 calorias. Todos estes compostos reunidos oferecem um potencial anticancerígeno e anti-inflamatório, que auxiliam no aumento da imunidade dos indivíduos que têm por hábito a frequência na ingestão dessa fruta.

Os kiwis são uma boa fonte de vitamina E, antioxidante conhecido por proteger a pele da degeneração. Estudos indicam que comer dois kiwis por dia ajuda a reduzir o potencial de coagulação do sangue. A fruta também possui boas quantidades de vitamina C, uma unidade e meia já possui as quantidades necessárias do nutriente por dia. A vitamina C melhora a imunidade, a absorção de ferro, evita problemas de visão e derrames.

As fibras do Kiwi ajudam a ligar e mover as toxinas do seu trato intestinal e auxiliam na digestão, evitam a prisão de ventre e outros problemas intestinais. O potássio presente no kiwi ajuda a manter nossos eletrólitos em equilíbrio e conter os efeitos do sódio. O baixo índice glicêmico e alto teor de fibras, não eleva o açúcar no sangue rapidamente, sendo um alimento seguro para os diabéticos.

Consumo do kiwi

Há relatos de alergia ao kiwi. As sementinhas pretas podem ser alergênicas para algumas pessoas. Caso elas sejam retiradas, não há problemas em consumir a fruta. A casca do kiwi pode ser consumida pura ou junto com a fruta, às fibras presentes nela ajuda pessoas que apresentem problemas de intestino preso. Uma boa higienização antes de consumir o fruto com a casca é indicada. O ideal é que o consumo da fruta seja realizado após aberta para evitar as perdas de nutrientes.

As principais formas de consumo do kiwi é ao natural, na forma de fruta fresca ou sucos naturais e industrializados, na forma de conserva enlatada, sorvetes, geleias, vinagre, vinho e aguardente. Sendo que a melhor forma de ingeri-lo é ao natural.

Conteúdo publicado pelo Site Minha Vida

Benefícios da melancia

A Melancia apresenta uma boa fonte de vitaminas A, B6, C, potássio e fitoquimicos importantes como o licopeno e a citrulina.

A cor avermelhada da polpa da melancia tem grande concentração de um poderoso antioxidante chamado licopeno, que neutraliza os radicais livres (substâncias nocivas ao corpo e os grandes responsáveis pelo envelhecimento da pele e aparecimento de diversos tipos de câncer). Além disso, a melancia também contém quantidades moderadas de potássio, um mineral essencial para o bom funcionamento de todas as células do corpo, órgãos e tecidos. Outro fitoquímico importante presente na melancia é chamado citrulina que é convertida em arginina, um aminoácido importante na entrega de nutrientes para o músculo.

Benefícios da melancia

A quantidade de vitamina B6 (piridoxina) presente na melancia é significativa e contribui no mecanismo de geração de energia do corpo e regulação do sistema nervoso. Uma deficiência desta vitamina pode causar dificuldades para dormir e para aprender.

O gosto adocicado da melancia vem da frutose, açúcar natural fonte de carboidrato que funciona no organismo como um estoque de energia, ajudando no ótimo funcionamento do cérebro, nervos, medula óssea e nos glóbulos vermelhos. Também é importante na hidratação corporal, já que é composta por aproximadamente 93% de água.

Além dos benefícios da melancia, as sementes da fruta também não devem ser desprezadas, pois apresentam propriedades nutricionais que fazem bem para a saúde. Elas são ricas em zinco, mineral que ajuda a aumentar a imunidade do organismo e em ácidos graxos, que contribuem para o bom funcionamento do metabolismo regulando os hormônios.

Comer melancia é uma ótima forma de conseguir estas vitaminas de uma forma natural.

Quantidade recomendada

Não existe informação sobre a quantidade diária recomendada de melancia. No entanto, sabemos que é importante fazer um rodízio, variando o consumo de frutas diariamente.

Como consumir a melancia

A melancia pode ser consumida de várias maneiras, seja ao natural, em forma de suco, espetinho de frutas, acrescentada na salada de frutas ou pode fazer parte de uma salada com folhas verdes e um molho de hortelã e nozes, por exemplo. Além disso, sua semente pode ser torrada e consumida como aperitivo.

Mito da melancia

Não existem alimentos exclusivamente indigestos para todas as pessoas. Cada indivíduo é mais sensível a esse ou aquele ingrediente. No entanto, a melancia tem fama injusta de indigesta. A impressão de que a fruta causa má digestão vem dos movimentos intestinais que ela causa em função de suas fibras insolúveis. Na verdade, a digestão da melancia é fácil, já que ela é composta basicamente por água.

*Artigo elaborado com a colaboração da nutricionista Paula Crook, da Patrícia Bertolucci Consultoria em Nutrição.

Conteúdo tirado do Site Minha Vida

Suco termogênico de melancia com gengibre

Ingredientes

  • 1 copo médio de melancia
  • 1 colher de sopa cheia de gengibre picado
  • 250 ml de água

Modo de Preparo:

Descasque e corte o gengibre em pedaços bem pequenos. Corte a melancia em pedaços grandes. Coloque a melancia, a água e o gengibre no liquidificador. Coe o suco numa peneira, leve a geladeira e depois sirva.

Informações:

Calorias totais: 50 calorias por porção

Rendimento: uma porção

Mousse de mamão proteico

Mamão é uma fruta que tem benefícios importantes para o bom funcionamento do organismo, principalmente do intestino. Confira a receita da culinarista Malu Lobo do site Nutra Saúde na Cozinha, que é liberada para pessoas em dietas com grandes quantidades de proteína.

Ingredientes:

  • 1 mamão papaia descascado e sem sementes em cubos
  • 1/2 xícara de açúcar mascavo (ou demerara ou adoçante forno e fogão)
  • 2 colheres chá rasa agar agar (ou 15 g gelatina sem sabor)
  • 4 claras em neve
  • 2 colheres de sopa de requeijão light ou tofu soft
  • 2 colheres sopa nibs de cacau para enfeitar (ou raspas de chocolate)

Como fazer:

Corte o mamão e o coloque em uma panela com o açúcar mascavo. Em fogo baixo, vá mexendo até o mamão começar a desmanchar, coloque o agar agar (ou a gelatina sem sabor dissolvida de acordo com as orientações do fabricante) e mexa mais uns três ou quatro minutos. Retire e aguarde esfriar. Enquanto isso, bata as claras em neve com uma pitada de sal até obter picos firmes. Coloque o mamão no liquidificador e acrescente o requeijão light, bata bem. Coloque o creme batido (reserve um pouco para enfeitar) nas claras e misture bem, mexendo devagar para incorporar, mas sem tirar o ar das claras. Dívida a mousse em seis taças e leve para a geladeira por no mínimo uma hora. Guarde o restante do creme em um refratário na geladeira para colocar quando a mousse estiver firme. Quando for servir, coloque um pouco da calda reservada e espalhe os nibs de cacau.

Rendimento

6 porções.

Conteúdo tirado do Site Minha Vida

Frutas com alto índice glicêmico

Quando o assunto é alimentação de quem tem diabetes, as frutas são um tópico delicado. Isso porque elas são ricas em carboidratos e algumas delas podem causar picos glicêmicos, o que não é interessante para quem tem diabetes. “Quanto mais rápida a absorção da glicose, mais rapidamente o corpo produz insulina”, explica o nutrólogo Roberto Navarro. Isso é ruim, pois diabéticos normalmente tem deficiência na produção de insulina (no caso de quem tem diabetes tipo 2) ou simplesmente não a possuem no organismo (diabetes tipo 1).

Mas como saber se uma fruta tem seu carboidrato absorvido de forma rápida ou lenta? Existe uma medida chamada índice glicêmico, que mensura justamente isso! “Esse índice é baseado na velocidade de absorção da glicose pelo corpo. Para isso pegam o pão branco ou glicose como referência, e compararam a resposta dos outros alimentos com ele”, explica a nutricionista Fernanda Castelo Branco, da ADJ Brasil Diabetes.

Para Fernanda, essa não é a única medida que deve ser levada em conta, já que a quantidade de carboidrato do alimento também é essencial para contabilizar o tamanho da alteração da glicose após a refeição. Isso vale inclusive para as frutas. “A melancia, por exemplo, tem o índice glicêmico alto, mas a quantidade de carboidratos não é grande o suficiente para trazer um pico glicêmico, se você consumir apenas uma porção”, explica a especialista.

Preciso evitar frutas com índice glicêmico alto?

Não é necessário abdicar das frutas, só porque o índice glicêmico é alto. “Deve-se levar em conta não só o índice glicêmico de um alimento, mas também da refeição como um todo”, explica o nutrólogo Navarro. Isso porque fibras, proteínas e gorduras na mesma refeição ajudam a reduzir a absorção dos carboidratos. No caso dos macronutrientes, isso ocorre devido a competição dentro do intestino. “Já as fibras causam uma barreira física que retarda a assimilação da glicose”, explica o especialista.

No caso das frutas, escolhendo os acompanhamentos certos, é possível retardar a absorção do carboidrato. Veja os melhores truques

  • Acrescente fibras: é possível fazer isso adicionando um farelo, uma granola ou grãos como chia, aveia e linhaça
  • Na mesma refeição, consuma uma oleaginosa, como as castanhas, amêndoas, ou macadâmias
  • Use a fruta para fazer uma vitamina com leite ou iogurte
  • Se for um lanche, coma a fruta junto com algum sanduíche com queijo ou outra fonte de proteína

Frutas de alto índice glicêmico

Entre as frutas com alto índice glicêmico encontramos:

Banana: A banana é a fruta com maior índice glicêmico de todas. Claro que essa quantidade varia de acordo com o tipo. O ideal é consumi-la com alguma fibra, como indicado acima, ou usá-la como um alimento pré-treino. “A banana é uma excelente forma de repor energia”, frisa Fernanda.

Manga, mamão, caqui e ameixa preta: Essas frutas têm índice glicêmico alto, no entanto sua carga glicêmica é moderada. Ou seja, uma porção de qualquer uma dessas frutas (o que equivale a uma unidade média ou uma xícara de chá picada) pode ser consumida, desde que acompanhada de alguma fibra.

Melancia: A melancia, apesar de ter um índice glicêmico alto devido a sua alta quantidade de água, tem uma carga glicêmica baixinha, já que a quantidade de carboidrato em uma fatia é pequena. Por isso mesmo, apesar dessa medida alta, ela não interfere de forma significativa na glicemia pós-prandial, e pode ser consumida.

Melão: O melão, devido a sua grande quantidade de água, também tem um índice glicêmico alto. Mas, como a melancia, sua quantidade de glicose por porção é baixinha, e pode ser consumido, desde que apenas uma fatia por refeição.

Frutas secas: As frutas secas, por serem desidratadas, acabam concentrando ainda mais seus nutrientes. “Além disso, elas perdem tamanho, o que faz com que uma porção tenha muito mais carboidrato”, explica Fernanda. Por isso, o ideal é tomar cuidado com elas se você tem diabetes.

Frutas com baixo e médio índice glicêmico

Entre as frutas com índice glicêmico baixo, encontramos o coco e o abacate, que o são por serem ricos em gorduras de boa qualidade, ou frutas com casca, como maçã, pera e morango.

A laranja e a mexerica têm índice glicêmico médio, mas se tornam perigosas quando consumidas em suco. “A polpa branca dessas frutas é muito mais rica em fibras, e isso é perdido quando você faz um suco”, explica a nutricionista Fernanda.

Outras frutas com índice glicêmico moderado são o pêssego, uva, damasco, goiaba e abacaxi. No entanto, é preciso tomar cuidado com a goiaba, já que sua carga glicêmica é alta. Ou seja, ela é capaz de elevar bastante os níveis de glicose e insulina.

Conteúdo tirado do site Minha Vida

Abacaxi ajuda a emagrecer e auxilia na digestão

Conheça os benefícios dessa fruta rica em vitaminas e que ainda melhora a sua respiração

Benefícios do abacaxi

Prepare-se, pois a lista de benefícios dessa fruta é bem grande! O abacaxi possui vitamina C, que ajuda o corpo a desenvolver resistência contra agentes infecciosos e prejudiciais. Também possui vitamina A, que é super importante no ciclo visual e diferenciação celular. A vitamina B1, também presente na fruta, ajuda o organismo a quebrar carboidratos para obter energia. Além disso, suas fibras retardam o esvaziamento gástrico, o que faz com que o indivíduo não tenha um pico glicêmico e contribua para um melhor funcionamento do intestino.
E não acaba por aí! Mesmo quem quantidades não tão abundantes, o abacaxi possui magnésio, cobre, manganês e ferro.

Magnésio

Ajuda a relaxar e é necessário para que as enzimas continuem com suas atividades normais e para o uso de energia. Também é essencial para que o cálcio exerça suas funções normalmente.

Ferro

É essencial na formação de hemoglobinas e oxidação celular. Além disso, também participa de reações enzimáticas.

Cobre

Crucial na formação dos ossos e do sangue, na liberação de energia dos alimentos, e na produção de melanina.

Manganês

Estimula a atividade de várias enzimas, antioxidantes e processos que envolvem a produção de energia.

Bromelaína

Apresenta propriedades anti-inflamatórias, anti-coagulantes e ajuda a fortalecer a imunidade. Também vem sendo associada à melhoria de de alguns problemas respiratórios, como a asma, por exemplo.

Abacaxi é diurético

Traduzindo: seu consumo está relacionado com uma maior eliminação de líquidos! E, consequentemente, isso leva a uma redução de peso. Vale lembrar que o abacaxi é uma fruta ácida, portanto não deve ser consumida além da conta. Principalmente, por pessoas que sofrem de refluxo gástrico, gastrite e úlceras. Consumi-lo em excesso pode gerar aquelas “queimações” no estômago.

Saiba mais:

Cuidados com a alimentação para quem tem gastrite

Sobremesas para quem quer emagrecer

Cuide da sua imunidade com os alimentos certos no inverno

Sucos: qual é a melhor escolha?

1° LUGAR: SUCO NATURAL
Com certeza, a forma mais saudável de se tomar um suco é o natural, mas como nem sempre é possível tomar o suco in natura, deve-se conhecer a qualidade dos outros tipos de suco para se optar, sempre que possível, pelo melhor.

 
2° LUGAR: POLPA CONGELADA
A segunda melhor opção é o suco feito com polpa congelada, pois mantém grande parte de seus nutrientes. O suco de acerola, por exemplo, que é rico em vitamina C, mantém 60% dessa substância.

 
3° LUGAR: SUCO CONCENTRADO
O terceiro lugar fica para os sucos concentrados, pois possuem a maior quantidade de água e pelo menos 50% de fruta.

 
4° LUGAR: CAIXINHA
O quarto lugar é o suco de caixinha, pois o processo de fabricação e a embalagem longa vida protegem a bebida da luz e da oxidação. Normalmente são comercializadas como néctar, ou seja, são diluídas em água, tendo de 20 a 30% de suco de fruta. Tem bastante quantidade de açúcar, sendo um ponto negativo.

acucar-e-sal-mascarados-nos-alimentos-industrializados-12-70-753
DICA:

Olhe no rótulo em qual ordem os ingredientes são listados – eles sempre são organizados de forma decrescente, ou seja, os primeiros são aqueles que aparecem em maior quantidade. Dê preferência para os sucos que têm a fruta no começo da lista e não o açúcar.

 
5° LUGAR: SUCO EM PÓ
O suco em pó fica em último lugar, pois contém muito açúcar, um pouco de sódio além de conter muitos conservantes, não sendo saudável; seu consumo deve ser esporádico.

foto2

Olha só a quantidade de fruta DE VERDADE que tem em cada um dos tipos de bebida:

suco

VAMOS FICAR SEMPRE ATENTOS AOS RÓTULOS, HEIN?!

 

Bruna Pinheiro
Nutricionista Dieta e Saúde
CRN-3 35001

Aposte nas frutas congeladas neste verão! ;)

Ah o verão! Eita época gostosa do ano!

Tudo é simples e delicioso, desde um mergulho na piscina ou no mar, quanto se refrescar com um belo picolé de frutas! Verão é também uma época de novas tendências e esse não seria diferente. A mais nova moda do verão são as frutas congeladas!

Pois é, para quem quer inovar, experimentar algo novo ou simplesmente se refrescar com algo nutritivo quanto o picolé a aposta é comer as frutinhas congeladas!

A verdade é que há muito tempo as polpas de frutas congeladas nos salvam nos momentos de calos, afinal quem nunca preparou um belo suco com algumas polpas. Sem falar que congelar frutas é também um bom jeito de evitar perdas, por exemplos, congelar um abacaxi inteiro permite que se tenha suco da fruta por pelo menos um mês inteiro!

As polpas ainda são uma boa idéia para sentir o gosto da sua fruta preferida quando ela estiver fora de época, dá até para fazer em casa os seus próprios congelados. Basta liquidificar as frutas com um pouco de água (o suficiente para formar uma pasta), sem adoçar. Vale a pena, investir essa técnica com aquelas frutinhas que nem sempre temos a disposição, por exemplo a cereja fresca que só encontramos no final de ano.

Acredito que a incerteza da qualidade nutricional das frutas congeladas ainda é frequente entre algumas pessoas. Por isso, gosto sempre de dizer que frutas congeladas são também nutritivas e podem sim fazer parte da nossa RA!

Claro que a forma ideal de comer qualquer fruta, legume ou verdura é na sua versão fresca, afinal é assim que conseguimos preservar e levar a maior concentração de vitaminas e minerais para o nosso prato. Ao cortar, descascar, bater o suco e deixar na geladeira, congelar e peneirar a polpa temos sim algumas perdas de nutrientes, especialmente vitaminas sensíveis a temperatura, entretanto isso NÃO quer dizer que o alimento não tem mais nada de nutriente, a MAIORIA de seus nutrientes permanece lá!

Pensando nisso, lá vai 3 ideias diferentes de receitas com frutas congeladas para esse verão! =D

– PICOLÉ DE FRUTAS COM ÁGUA DE COCO

Corte frutas de sua preferência e disponha em forminhas de picolé. Preencha com água de coco até a borda, coloque os palitinhos e leve ao freezer!

blog2

 

– SORVETE DE BANANA

Congele duas bananas nanicas sem a casca. Bata em um liquidificador ou processador de alimentos, as bananas congeladas com os morangos até formar um creme homogêneo. Prontinho! Se não tiver morango você pode colocar um colher de cacau em pó ou achocolatado light (fica tipo sorvete de chocolate).

blog3

 

– FRUTAS CONGELADAS

Uvas sem caroço, framboesas, cerejas, amoras ficam deliciosas congeladas! Basta colocar em um recipiente de vidro, cobrir com filme plástico e levar ao freezer por cerca de 1 a 2 horas!

blog6

 

Ótima semana!

Ana Carolina Icó
Nutricionista Dieta e Saúde
CRN-3 34133

Dica de doce pós churrasco

Para você que não dispensa um churrasco, aqui vão algumas dicas do que evitar para aproveitar sem prejudicar sua dieta!
Fuja de carnes como bisteca, cupim, linguiça, costela e até mesmo os pequenos corações de galinha. Prefira os cortes magros como patinho, maminha, lagarto, filé mignon e coxão mole.
A coxa ou asinha de frango podem ser consumidas, mas, desde que sem a pele. Já a picanha pode aparecer no prato, desde que a gordura aparente da carne seja retirada.

Nesse vídeo a nossa nutri, Bruna Pinheiro, vai dar uma dica para quem gosta de comer doces depois do churrasco. Gostaram?
Agora não tem mais desculpa para exagerar no final de semana e extrapolar nos pontosDS!

Ainda não sabe quantos pontos deve consumir? Faça sua avaliação de peso gratuita e comece agora!