Arquivo da tag: emagrecer

Jaqueline conseguiu emagrecer 30kg em 1 ano com a ajuda do Dieta e Saúde

Depois de ter sua autoestima devastada, ela encontrou forças para mudar

Jaqueline foi magra durante a maior parte de sua vida. Por mais que sempre tenha gostado de comer bastante, seu rápido metabolismo ajudava. Sempre praticou esportes, amava dançar, mas, enquanto a preparação para o seu casamento começava, algumas coisas mudaram. E, infelizmente, mudaram para pior. “Fiquei muito ansiosa com o casamento e comecei a descontar na comida. Lembro de comer um pacote de balas sozinha. Depois que casei, engordei ainda mais. Tudo era novidade e, além disso, meu marido cozinha muito bem”.

A reação da família

Os familiares, que sempre estiveram acostumados a ver Jaqueline magra, estranharam. Ela teve que ser forte e resistir às brincadeiras de mau gosto. “Minha família não aceitava essa mudança tão brusca. Alguns chegavam a fazer piadas. Minha mãe chegou a me levar ao médico para começar um tratamento com remédio para emagrecer. Resultado: perdi 3kg, depois engordei o dobro e não parei mais de engordar. Era extremamente difícil lidar com tudo aquilo, principalmente porque, durante metade da minha vida, pesei apenas 50kg. Agora, nada me servia, não conseguia comprar as roupas que eu gostava e até minha aliança não servia mais no meu dedo. Minha autoestima foi derrubada”.

Sozinhos, não vamos a lugar nenhum

Por sorte, Jack (como gosta de ser chamada) pôde contar com o grande apoio de suas irmãs, sua mãe e seu marido. Em uma conversa casual com a irmã caçula, sua vida estava prestes a mudar drasticamente. “Graças a um convite da minha irmã mais nova, comecei a fazer exercícios em março de 2015. Iniciei sem nenhuma pretensão de emagrecer, afinal eu já tinha feito 6 meses de academia há alguns anos e não emagreci nada. Depois de alguns dias, me animei e, numa conversa com minha irmã, ela me aconselhou a usar o aplicativo Dieta e Saúde. Me adaptei rapidamente, pois o DS é muito didático. Na primeira semana foi difícil, pois eu me sentia muito estressada com a mudança da rotina. No entanto, me animei ao ver que os resultados estavam aparecendo. Eu chegava a emagrecer 1kg por semana e, às vezes, até mais! Ainda me lembro da primeira vez em que me pesei depois de ter começado a usar o Dieta e Saúde: havia emagrecido 2kg e saí pulando de alegria pelo mercado! Minha mãe e minha irmã mais velha começaram a ir para a academia comigo, o que foi ótimo para me incentivar. Meu marido também parou de fazer todos aqueles pratos de antigamente e passou a me ajudar com a reeducação alimentar”.

Autoestima resgatada


Hoje, depois de ter eliminado 30kg em 1 ano, Jaqueline compartilha seus resultados alegremente. “Minha vida mudou muito depois de emagrecer: minha autoestima foi recuperada, já não fico doente com facilidade e tenho muito mais disposição. Me sinto mais jovem e não consigo me enxergar nas fotos de alguns anos atrás. Todos que me veem dizem que estou ótima e perguntam o que fiz. A resposta é simples: exercícios e reeducação alimentar através do Dieta e Saúde. Cheguei até a ganhar um concurso na minha academia por ter sido a que mais emagreceu. Sou tímida, mas meu coração sempre transborda de felicidade quando me elogiam pelas mudanças!”

A Professora de 26 anos termina seu depoimento com uma mensagem inspiradora para todos aqueles que estão na luta para emagrecer: “Quando se trata de saúde e bem-estar, todo esforço vale a pena. Acredite: os frutos são maravilhosos e não é tão difícil quanto parece! Não desista! Lembre-se de que sua vida é um bem precioso”.

• Quer emagrecer até 4 quilos por mês sem deixar de comer o que gosta, como a Jaqueline fez? Clique aqui, e comece agora 🙂

Conheça mais pessoas que emagreceram com o DS:

Izabel eliminou 27kg – “Dizem que pareço 10 anos mais jovem”

Alice eliminou mais de 19kg – “Aprendi um estilo de vida pra sempre, não uma dieta de emagrecimento”

A Cintia emagreceu mais de 40kg – “Muita coisa mudou. Em primeiro lugar foi minha aceitação.”

Benefícios do limão

Razões para incluir o limão na dieta hoje mesmo

Há quem diga que o limão é emagrecedor. Como já sabemos, nenhum alimento, por si só, emagrece. Se você quer emagrecer de maneira saudável e sem deixar de comer o que gosta, assine o Dieta e Saúde!
Contudo, alguns alimentos têm, sim, o poder de ajudar no processo de emagrecimento. De acordo com a nutróloga Dra. Tamara Mazaracki, o limão é um deles. Confira o texto que ela produziu para o site do Minha Vida sobre os benefícios dessa fruta.

Tipos de limão e nutrientes

Ao todo, estima-se que existam cerca de 100 espécies no mundo. No Brasil encontramos quatro tipos principais: tahiti, galego, siciliano e cravo. Limão contém vitamina C, ácido cítrico, diversos bioflavonoides, vitaminas do complexo B, folato, cálcio, ferro, magnésio, fósforo, potássio e fibras. Não há grandes diferenças entre os valores nutricionais presentes nos diversos tipos de limão.

Alimento alcalino

O limão é ácido no sabor, porém tem ação alcalinizante no organismo. Na verdade o limão é um dos alimentos mais alcalinos e isso é ótimo para neutralizar a tendência à acidez no corpo. O limão induz à produção de agentes alcalinos nos fluidos corporais, ajudando a restabelecer um pH equilibrado, o que contribui para a vitalidade e a longevidade.

Antioxidante

O limão é excelente fonte de vitamina C e de flavonoides (hesperidina, polifenóis, ácido elágico), com ação antioxidante e imunoestimulante, ajudando o corpo a lutar contra gripes e resfriados, e outras infecções.

Digestão

O limão ajuda na digestão porque estimula o fígado a produzir mais enzimas digestivas, melhora a ação da bile (que digere as gorduras), tem uma composição química semelhante à da saliva e do ácido clorídrico produzido pelo estômago atuando na digestão de amidos e proteínas, e ainda estimula a função intestinal, ajudando a corpo a eliminar os resíduos com maior eficiência.

Diluidor

O ácido cítrico presente no suco de limão ajuda a dissolver os cálculos biliares, os depósitos de cálcio nos vasos sanguíneos e as pedras nos rins, além de diluir e eliminar o ácido úrico (um cristal causador da gota).

Anticancerígeno

O fruto contém 22 compostos diferentes com ação anticancerígena, incluindo o limoneno, um óleo que retarda ou paralisa o crescimento de tumores em animais, e glicosídeos de flavonol que param a divisão celular em células cancerosas.

Neuroprotetor

A casca de limão contém um potente fitoquímico, a tangeretina, que se mostrou eficaz para prevenir distúrbios cerebrais, como a doença de Parkinson. Um estudo com animais mostrou que a tangeretina tem ação neuroprotetora e aumenta os níveis de dopamina, um neurotransmissor que tem seus níveis reduzidos nos portadores de Parkinson. A tangeretina ainda ajuda a reduzir a taxa de colesterol e tem ação antitumoral na leucemia.

Limão ajuda a emagrecer

A naringenina, um flavonoide encontrado em cítricos, apresentou grande potencial para prevenção da obesidade e da síndrome metabólica (onde o acúmulo de gordura visceral evolui para o diabetes tipo 2 e favorece a ocorrência de doenças do aparelho cardiovascular) em recente estudo realizado por pesquisadores canadenses e publicado na revista Diabetes, da American Diabetes Association.
O estudo feito com camundongos mostrou que os animais que tiveram a alimentação enriquecida com naringenina apresentaram melhora dos níveis de colesterol e triglicerídeos, assim como uma redução da resistência à insulina e o metabolismo da glicose normalizado, um dos fatores que influencia diretamente o emagrecimento. Não houve restrição calórica e nem de gordura administrada às cobaias. Dois grupos de camundongos foram alimentados da mesma maneira, mas somente um deles teve o flavonoide adicionado à alimentação e este grupo não desenvolveu obesidade e outras disfunções metabólicas.

Vitamina C detona gordura

Diversos estudos correlacionaram um nível baixo de vitamina C circulando no sangue com o aumento de gordura corporal e da medida da circunferência abdominal. Uma pesquisa realizada em 2006 na Universidade do Arizona verificou que a vitamina C circulante está diretamente ligada à oxidação das gorduras, que é a habilidade do corpo de usar a gordura como combustível durante a prática de atividades físicas e no repouso, ou seja, com níveis adequados de vitamina C o corpo queima mais eficientemente a gordura estocada.

Dose diária

Para ter saúde um limão por dia é suficiente, mas nada impede que você consuma dois ou três. Tome água com limão para um rápido detox, faça uma limonada (aproveite a casca), acrescente em outros sucos (combina com tudo), tempere saladas e legumes, esprema na sopa ou no prato pronto (pescados e carne). Um alerta: evite chupar o limão para não danificar o esmalte dental, devido ao seu alto conteúdo de ácido cítrico.

Saiba mais:

14 temperos naturais para substituir o sal

Dicas para aumentar a saciedade

Como manter o corpo bem hidratado

Reclamar demais engorda

A negatividade pode ser pior do que imaginávamos

Você costuma reclamar muito? Cuidado! Esse hábito aumenta os níveis de cortisol no organismo. Para quem não sabe, o cortisol é um hormônio que ajuda nosso corpo a controlar o estresse, assim como os níveis de açúcar no sangue e a pressão arterial. Más notícias para os reclamões: altos níveis de cortisol estão diretamente relacionados com o ganho de peso.

Você sabia que manter um estilo de vida saudável é uma ótima maneira de controlar o estresse? Se você quer começar a viver com mais tranquilidade e qualidade, assine o Dieta e Saúde, nós te ajudamos nessa!

Confira a matéria publicada pelo site do Minha Vida:

De acordo com o cientista e filósofo Steve Parton, do Psych Pedia, esses hábitos negativos reestruturam o cérebro, facilitando o surgimento de novos pensamentos ruins no futuro, de forma aleatória. Inclusive, reclamar demais pode até enfraquecer o sistema imunológico, provocando o aumento da pressão arterial.
Parton explica que as informações dentro do cérebro fluem de um neurônio para o outro através das sinapses. Estas, por sua vez, são separadas por um intervalo chamado fenda sináptica. Quando você tem um pensamento, um pulso elétrico sinaliza a sinapse para disparar uma reação através da fenda para a outra sinapse, formando uma ponte para o sinal elétrico.
“Toda vez que essa carga elétrica é acionada, as sinapses ficam mais juntas, diminuindo a distância que a carga elétrica tem que atravessar”, afirma Parton. Dessa forma, quanto mais você faz comentários ruins e reclamações, mais facilmente esses pensamentos serão repetidos pelo seu cérebro.

“Pela repetição do pensamento, você aproxima cada vez mais as sinapses que representam essas inclinações negativas e, quando surgir o momento oportuno, o pensamento que surgirá primeiro será o que tem a menor distância para percorrer, o que irá criar uma ponte entre sinapses mais rápido”, explicou o cientista.

Além disso, a raiva e a frustração geradas pelas reclamações fazem o organismo liberar cortisol, o hormônio do estresse. O aumento do cortisol no organismo contribui para uma maior pressão arterial e colesterol, enfraquecimento do sistema imunológico e problemas de aprendizagem e memória, de acordo com Parton. Os efeitos do cortisol podem também contribuir para o aumento do risco de diabetes, doenças cardíacas e obesidade.

O cientista também alerta que conviver com pessoas negativas e que reclamam muito pode ter um efeito ruim igualmente ruim na sua saúde. Isso acontece por causa da empatia, que mesmo inconscientemente nos faz compartilhar as emoções de nossos amigos, realizando sinapses semelhantes em nossos próprios cérebros.

Saiba mais:

Conheça as 8 profissões que mais engordam

O que comer à noite para não engordar?

Como acabar com o pensamento gordo

8 dicas para mudar sua mente

É só começar a dieta que já te dá aquela vontade maluca de comer tudo o que vier pela frente? Calma, esse comportamento é natural e você, com certeza, não está sozinha. Para te ajudar a acabar com esse problema, a nutricionista Roberta Stella separou algumas lições valiosas .

| • Quer emagrecer sem deixar de comer o que gosta? Clique aqui e assine o Dieta e Saúde, nós te ajudamos na sua meta!

1. Mude seus conceitos

Não encare verduras, legumes e frutas como um sacrifício para emagrecer. Eles são fundamentais em uma alimentação saudável e precisam fazer parte da sua rotina alimentar. Sem contar que, devido à variedade de nutrientes que contêm, trazem diversos benefícios ao seu corpo. Além disso, existem tantas opções, que é impossível odiar todas. Alguma, certamente, agrada o seu paladar.

2. Direcione seu foco

Está claro que você precisa estar atento a tudo que leva à boca quando está de dieta, mas isso não significa que seu pensamento deve estar totalmente voltado para a comida. Quando não estiver na hora das refeições, faça alguma coisa que te distraia como ler um livro, ouvir música ou assistir a um filme. Isso evita que você pense excessivamente nos alimentos.

3. Previna-se das tentações

Caso você ainda se sinta vulnerável diante das suas delícias preferidas, evite dar de cara com elas. Não se exponha a situações de risco. Na hora das compras, fuja das gôndolas e corredores que abrigam os alimentos tentadores, como bolachas recheadas e chocolates, por exemplo.

4. Escape das armadilhas

Você não precisa deixar de sair com seus amigos só porque eles sempre pedem sua sobremesa preferida. E também não precisa nem deve ficar chupando o dedo. Não hesite na hora da sobremesa: peça uma fruta. Se surgirem comentários descritivos das sobremesas saboreadas pela turma, mude de assunto.

5. Mire no alvo

Se você está pensando em matar uma das refeições principais para se esbaldar com um doce, afaste esta ideia para bem longe. Jamais pule uma refeição para compensar com um doce ou salgado muito calórico. O máximo que você consegue é, em vez de economizar calorias, se privar de diversos nutrientes.

6. Na dúvida, fique com o trivial

Diante da variedade dos cardápios de restaurantes, opte pelos pratos mais simples, que, certamente, serão os menos calóricos. Prefira um prato de arroz, feijão, carne grelhada, legumes e verduras a uma fatia de torta ou quiche com salada e molho.

7. Abandone o radicalismo

Mude seus hábitos alimentares visando um cardápio balanceado, que favoreça sua saúde. Nenhuma restrição excessiva é saudável. Portanto, nada de pular o café-da-manhã para abusar no almoço. Planejando todas as refeições, você não chega afoito e faminto em nenhuma delas.

8. Aja e pense positivo

Esqueça a ideia de que, para emagrecer, é preciso passar fome. Certamente, você vai sentir mais vontade de devorar qualquer prato. A partir daí, mude também as suas atitudes, programando suas refeições, que devem somar cinco a seis por dia (café da manhã, almoço, jantar e pequenos lanches intermediários). É comum as pessoas que seguem uma orientação nutricional questionarem a quantidade dos alimentos que vão ingerir, ao seguirem o cardápio programado. Elas duvidam que irão emagrecer, comendo mais do que costumam comer, conta Roberta. Ela explica que, optando por alimentos mais saudáveis e com menor pontuação, dá sim para treinar mais a mastigação, quando se está de dieta. Além disso, uma alimentação saudável permite que você consuma uma variedade maior de nutrientes.

Saiba mais:

Exercícios mentais que ajudam a emagrecer

Benefícios da caminhada para o corpo e a mente

Maionese engorda?

Conheça os efeitos deste alimento no emagrecimento

Quem conhece bem o Dieta e Saúde já sabe que não estabelecemos relações do tipo “bom x ruim” ou “liberado x proibido”. Afinal, nosso propósito é ensinar você a criar um bom relacionamento com os alimentos – e não ter medo deles – por meio da reeducação alimentar.
Portanto, mais importante do que crucificar ou endeusar alimentos, é prestar atenção na quantidade, na qualidade nutricional do alimento e na frequência com que o consumimos.

Maionese faz mal?

Por ser muito calórica e rica em gorduras, ela já foi vista como inimiga da saúde e das dietas. Porém, atualmente, o processo de fabricação da maionese foi mudado: a concentração de óleo e ovos está menor, enquanto a composição de água aumentou.
Para aqueles que são totalmente contrários a produtos industrializados, aqui vai um dado interessante: a opção caseira costuma ser muito mais calórica do que a industrial. Em casa, o condimento costuma ser preparado com mais óleo, ovos e gorduras. O número de calorias da maionese caseira pode chegar a 76kcal, contra apenas 40kcal da versão industrializada. Porém, lembrando que com a receita caseira você poderá dosar a quantidade dos ingredientes, além de escolhê-los.

Resumindo: o consumo de maionese deve ser, sim, moderado, principalmente para quem quer emagrecer.

Maionese na dieta

Em sua atual composição, a maionese industrializada não oferece riscos – claro, se consumida com moderação. Ela já não apresenta grandes quantidades de colesterol e gorduras saturadas como nas versões antigas. Contudo, ainda assim, é preciso controlar as quantidades, pois, quando ingerida em excesso, pode aumentar o colesterol total e o colesterol ruim (LDL).

A maionese possui benefícios?

Nutricionalmente, a maionese não possui benefícios significativos, nem mesmo as versões mais lights. Ela é um produto que dá sabor e pode deixar os alimentos mais palatáveis (saborosos).

Cuidados

É necessário se atentar com a refrigeração. Refrigerar até 4ºC por 48 horas ou até 6ºC por 24 horas. No caso da versão caseira, a atenção deve ser redobrada quanto à contaminação de salmonela.

| • Quer emagrecer de maneira saudável e sem deixar de comer o que gosta? Assine agora o Dieta e Saúde!

Saiba mais:

É possível emagrecer comendo doces

Comer à noite pode ajudar a emagrecer

Sedentarismo deixa mulheres 8 anos mais velhas

Dicas para emagrecer depois dos 30

Acredite: a idade não é uma boa desculpa para desistir de emagrecer

Sim, é verdade que nosso metabolismo vai desacelerando com o passar da idade. Mas, isso não é desculpa para desistir de emagrecer. A maior prova de que é possível, sim, emagrecer em qualquer idade são os nossos Casos de Sucesso!

Se você quer histórias inspiradoras, é só dar uma olhadinha lá. E, claro, se quer emagrecer sem deixar de comer o que gosta e de maneira saudável, é só clicar aqui e assinar o Dieta e Saúde, que eles te ajudam nessa!

O Minha Vida conversou com o Dr. Roberto Navarro Sousa Nilo, nutrólogo, e ele deu dicas valiosas para quem está na casa dos 30 quer emagrecer. Confira:

Primeiro é importante entender o significado da palavra metabolismo, segundo os dicionários: “Conjunto de transformações através das quais se faz a assimilação e desassimilação de substâncias necessárias à produção de energia nos seres vivos”. Este conjunto de transformações só é possível através da produção e da ação de um grupo de substâncias fundamentais: os HORMÔNIOS. Produzimos, ao longo de toda nossa vida, vários tipos de hormônios e cada um deles com funções específicas e diferentes em vários órgãos. O que apenas vai sendo modificado ao longo do tempo é a quantidade de hormônios que produzimos, o que é chamado de declínio hormonal.

Numa cronologia geneticamente pré-determinada iniciamos os primeiros declínios hormonais na década dos 30 aos 40 anos de idade, inexoravelmente. Comparando nosso corpo à um automóvel eu diria que o declínio hormonal equivaleria à diminuição da facilidade com que o motor do carro queima (utiliza) a gasolina que entra nele. No automóvel o combustível que entra no motor é a gasolina e no nosso organismo é o alimento. Se no automóvel o total de gasolina colocado no tanque não for utilizado pelo motor até o final do dia, haverá sobra de combustível, que ficará no tanque. No nosso corpo o motor é a massa muscular, local onde mais se consome combustível, ou seja, o alimento que comemos. Se no final do dia comermos mais alimentos que nosso corpo é capaz de queimar a sobra do combustível vira tecido adiposo, ou seja, engordamos.
Alguns hormônios produzidos pela glândula supra renal contribuem para a eficiência dos nosso motor (músculos) em “queimar” a gasolina (alimento) que ingerimos, pois atuam na manutenção da massa muscular, nosso maior motor interno.
É justamente este eixo que começa a se alterar à partir dos 30 anos, proporcionalmente mais intenso nas mulheres e em menor proporção nos homens, pois alguns hormônios da glândula supra renal começam a ser produzidos em níveis gradativamente menores iniciando um declínio hormonal progressivo, influenciando diretamente na diminuição da massa muscular e na eficiência do gasto energético. Eu resumiria todo este comentário em uma linguagem mais popular: nosso metabolismo vai ficando mais lento.
Como fazer então para diminuir o impacto deste prejuízo metabólico quando ele se inicia? Primeiramente uma visita ao médico pode ser importante para avaliar, através de exames laboratoriais e dos sintomas referidos pelo paciente, qual o grau do declínio hormonal, pois fatores ambientais como estresse físico e emocional, exposição excessiva à substâncias químicas ambientais como xenoestrógenos ( bisfenol A), xenobióticos (agrotóxicos, metais pesados), álcool, tabaco, associados à má alimentação e estilo de vida inadequados, podem desencadear um declínio hormonal exagerado, muito além do que seria o esperado para sua faixa etária, situação que pode ser amenizada com condutas médicas específicas de modulação hormonal, que visa manter nossos hormônios em níveis adequados para a nossa faixa etária. Não estou me referindo ao uso de hormônios sintéticos anabolizantes para aumento de massa muscular ou muito menos para fins estéticos e de “rejuvenescimento”, pois a modulação hormonal não tem nada a ver com estas propostas.
Outra atitude que deve ser tomada tanto pelos homens como pelas mulheres, é fazer da atividade física uma rotina e não apenas no fim de ano para ficar bonito(a) no verão. A diminuição progressiva da massa muscular, o que tende a iniciar à partir dos 30 anos só será freada se a fibra muscular for estimulada frequentemente e o sedentarismo é o pior caminho para isto. Atividades físicas como treinos funcionais, crossfit, musculação, esportes que exigem mais força física, todas logicamente orientadas por profissionais qualificados e após liberação médica, são divisores de água na evolução favorável de nossa massa muscular, mantendo nosso maior motor humano ativo e “queimador” de combustível (alimento).
Na alimentação os cuidados são redobrados à partir dos 30 anos. Aqueles brigadeiros a mais que antes eram facilmente “queimados” por um metabolismo bastante ativo, agora podem ir diretamente para a gordurinha da barriga ou do culote.
Comparando à uma equação matemática eu diria que nosso peso diário é o resultado final do total que comemos de alimento no dia (total de litros de combustível que colocamos no tanque de gasolina no carro) menos o total de energia que gastamos no decorrer do dia (quantos quilômetros rodamos com o carro o dia inteiro).
Se à partir dos 30 anos nosso metabolismo tende a ficar menos eficiente (mais lento ), ou seja, nosso “motor” interno começa a ficar mais econômico, logicamente o total de combustível (alimento) que é “queimado” no decorrer do dia passa a ser menor e certamente um reajuste no total de alimentos ( “litros” de gasolina) deverá ser levado em consideração. Trocando em miúdos, o total de calorias do plano alimentar que até então se vinha fazendo, antes dos 30 anos, poderá sofrer reajuste para menos, para evitar sobra de combustível.
Os alimentos que mais são utilizados como combustível (muitos “litros” de gasolina no tanque) são os carboidratos e as gorduras que comemos. Açucares, doces, farinhas brancas refinadas, massas, refrigerantes, álcool e demais guloseimas devem passar a ser exceção no plano alimentar, ou seja, deverá haver diminuição destes carboidratos. Os alimentos ricos em gordura como manteiga, embutidos (salame, mortadela, presunto, bacon), queijos amarelos, picanha, costela, pele das aves e outros devem ter consumo bastante diminuídos, ou se possível, evitados.
O aporte proteico deve ser bem calculado pois os principais nutrientes que o músculo precisa para ser reconstruído diariamente são os aminoácidos, provindos das proteínas que comemos. Uma baixa ingestão de proteínas após os trinta anos de idade pode comprometer a massa muscular, tanto em homens como em mulheres. Lógico que ao escolhermos os alimentos proteicos devemos privilegiar as fontes “magras”, como iogurte desnatado, peixes magros, alcatra, músculo, patinho, filet mignon bovino ou suíno (se o bolso permitir ), fontes proteicas vegetais como quinoa, amaranto, feijões, lentilhas, soja ( sem exagero ), grão-de-bico, cogumelos comestíveis.
Enfim, após os trinta anos de idade começamos a definir como queremos chegar aos 40, 50, 60, 70, 80 anos. Se ficarmos sedentários, exagerarmos nos carboidratos e gorduras, deixarmos os declínios hormonais exagerados persistirem sem revertê-los, sem dúvida aos 40 anos de idade já haverá uma repercussão negativa na saúde e os quilos extras na balança serão uma triste realidade e as doenças degenerativas como diabetes tipo 2, hipertensão arterial, infarto agudo do miocárdio, AVC, câncer, artrose, osteoporose e outras estarão te esperando no final do túnel. Para evitar tudo isso CUIDE-SE e lembre-se que quem faz pela gente é a gente mesmo. Grande abraço a todos os leitores!

Saiba mais:

10 dicas para não desistir da dieta

Aprenda a comer de forma simples e saudável no trabalho

Adbominal para definir barriga

Exercícios e uma alimentação saudável garantem o aparecimento dos gominhos

Quem disse que você precisa pagar uma academia para se exercitar? Aliás, quem disse que você precisa sequer sair de casa para abandonar o sedentarismo?

Exercício para definir o abdômen

Deite de barriga para cima com as pernas dobradas e os pés juntos. Com os braços esticados em cima da cabeça, eleve o tronco em direção aos joelhos, contraindo o abdômen ao máximo. Lembre-se de não forçar o pescoço. Se você é iniciante, tente realizar 3 séries de 12 repetições. Procure alcançar a fadiga muscular para melhorar seus resultados.

Está com dificuldades para entender como funciona? Veja o vídeo que ilustra o exercício:

Como ter um abdômen definido

É preciso ter em mente que nenhum exercício abdominal irá te deixar com “tanquinho” por si só. É preciso manter uma alimentação saudável e balanceada. Afinal, os músculos ficam por baixo do tecido adiposo (gordura). Portanto, você pode ter um abdômen forte, mas os famosos gominhos não vão aparecer se você estiver com um índice de gordura corporal alto. O único segredo é aliar uma boa alimentação com exercícios regulares.

| • Quer emagrecer sem deixar de comer o que gosta? Clique aqui, e comece agora

Saiba mais:

5 maneiras de tornar a caminhada muito mais eficiente

15 minutos de exercício físico diariamente podem ser suficientes

Exercícios mentais para emagrecer

Emagrecer comendo doces é possível?

doce e dieta

Para muitos, a palavra “dieta” é sinônimo de privação. Alguns acreditam que é preciso cortar da sua alimentação qualquer alimento que seja prazeroso. “Se é bom, engorda” já virou, praticamente, um ditado popular. Será que precisamos mesmo deixar de viver para emagrecer? Seriam os doces os vilões da história?

Doces na dieta

Não, os doces não são os culpados. Na verdade, eles podem, sim, fazer parte de uma alimentação saudável, equilibrada e que visa o emagrecimento. É importante lembrar que o açúcar presentes nos doces está relacionado à produção de serotonina, que é um neurotransmissor responsável pela sensação de prazer e bem-estar.

Emagrecer sem deixar de comer o que gosta

O segredo é o equilíbrio. Comer um brigadeiro de vez em quanto não vai jogar seus esforços no lixo. Desde que a base de sua alimentação não seja composta por doces, tudo ficará bem. É completamente possível emagrecer e manter uma alimentação saudável sem abrir maão dos deliciosos docinhos.

O que é saudável?

Muitos dizem que “comer doces não é saudável”. Mas, afinal, o que é ser saudável? Precisamos ter consciência de que nossa saúde mental também precisa estar em dia. Se você consome todos os nutrientes necessários para manter um bom funcionamento do seu corpo e mantém uma rotina de exercícios físicos regulares, que mal um doce faria? Muito pelo contrário: ele te dá prazer, alivia seu estresse e, muitas vezes, alegra os dias ruins. Saber controlar a quantidade é o segredo.

Coma, sim, mas não exagere

Açúcar em excesso faz mal, assim como tudo em excesso faz mal, não é mesmo? Se você tem um certo vício pelo açúcar, tente optar por versões mais light. Se você é chocólatra, tente experimentar versões mais amargas, que possuem mais cacau e são mais benéficas à saúde.

Reeducação alimentar

Aqui, nenhum alimento é proibido. Você só precisa aprender a balancear a alimentação e controlar as quantidades. Ao invés de ter “medo” da comida e de fazer privações, crie um bom relacionamento com os alimentos. Veja-os como aliados! Afinal, eles são responsáveis por manter seu corpo funcionando e, claro, por satisfazer suas papilas gustativas. Coma para viver; não viva para comer. Quer ajuda para começar? Clique aqui e comece agora a sua dieta

Saiba mais:

Como diminuir a vontade de comer doces

Como manter a dieta mesmo comendo fora

Aprenda a fazer marmitas perfeitas para a dieta

Dia do lixo na dieta

Será que o dia do lixo é uma boa alternativa para o emagrecimento?

Você segue uma dieta extremamente restrita durante a semana para depois poder comer o que quiser no fim de semana? Se você quer reeducar sua alimentação, essa pode não ser uma boa escolha. Afinal, você quer criar um bom relacionamento com a comida ou quer sentir culpa sempre que comer um doce?

O que é dia do lixo?

O dia do lixo é, basicamente, um dia para comer o que você quiser, sem se preocupar com quantidades. É, geralmente, uma prática usada por pessoas que seguem dietas extremamente restritivas. Os adeptos da prática defendem que o dia do lixo é uma boa maneira de quebrar a estagnação – ou efeito platô.

Dia do lixo vale a pena?

Muitos fazem o dia do lixo e o vêem como uma grande recompensa pelos “sacrifícios” feitos durante a semana. Mas será que comer de maneira saudável deveria ser um sacrifício? Deveria ser dolorido cuidar da sua saúde? Buscar uma qualidade de vida melhor, com mais longevidade e maior imunidade deveria ser algo penoso?

| • Emagreça até 4 quilos por mês comendo de tudo. Clique aqui, e faça a sua avaliação de peso 🙂

Exagerar na comida, de vez em quando, é normal

É importante ter em mente que o “exagero” é normal – desde que não seja frequente. Afinal, que culpa deveríamos sentir ao comermos demais se estamos numa festa ou celebrando um momento especial com os amigos? É normal atribuirmos a comida a comemorações. Isso acontece desde os tempos bíblicos e já é algo estabelecido culturalmente. Um ou dois exageros no mês não vão te engordar. No entanto, se você viver de exageros, sua saúde será afetada.

A nutricionista Ana Carolina Icó fez uma continha simples para ilustrar o quão nocivo pode ser a prática do dia do lixo:
“Imagine que você determinou todo sábado como o “Dia do Lixo”, ou seja, esse será o dia de comer o que tem vontade e sem pensar na quantidade. Em 1 ano você terá exagerado por 52 dias. Porém, muitas vezes o final de semana inteiro é o período da jacada, então o número de dias de exagero sobe para 104. Vale a pena também incluir nessa conta datas comemorativas (aniversários, casamentos, happy hour e confraternizações) e feriados, quando a saída da rotina também favorece os excessos no consumo alimentar. Adicionando 10 feriados e 20 dias de eventos especiais chegamos a 134 dias de exageros! Se decidir decretar a sexta como outro “Dia do Lixo”, são mais 52 dias, o que totaliza 186 dias de jacada! Se resolver passar metade de um ano extrapolando, terá apenas a outra metade para se dedicar ao emagrecimento. Bom, parece que a dinâmica do “Dia do Lixo” não é tão inofensiva assim, não é mesmo!?”

Viva sem ter “medo” dos alimentos

Ao invés de ver certos alimentos como “vilões”, que tal poder comer de tudo com consciência? Você não precisa se privar do chocolate durante a semana para emagrecer. Ou você acha que só pode sentir prazer aos finais de semana? É totalmente viável manter uma rotina saudável sem ter que fazer restrições malucas e ficar estressado. Ainda duvida de que isso seja possível? Faça sua avaliação de peso no Dieta e Saúde e veja como é possível emagrecer sem deixar de comer o que você gosta!

Saiba mais:

Como diminuir a vontade de comer doce

Aprenda a fazer marmitas saudáveis

Receita de nutella fit

Dieta cetogênica é uma boa?

Dieta cetogênica: conheça os prós e contras desse método

Dieta cetogênica emagrece?

Bom, ela pode, sim, emagrecer. Afinal, a dieta cetogênica reduz bastante o consumo de carboidratos, que são nossa maior fonte de energia. E, quando isso acontece, nosso corpo precisa procurar fontes alternativas para extrair energia e continuar funcionando. Consequentemente, ele irá precisar tirar energia da nossa reserva calórica: a gordura.
No entanto, essa queima de gordura irá levar à liberação de corpos cetônicos, que podem causar enjoos e náuseas, quando em excesso.

Como funciona a dieta cetogênica?

Costuma ser composta da seguinte maneira: 50% de gorduras, 30% de proteínas e 10% de carboidratos. Porém, não pode ser qualquer tipo de carboidrato. Arroz branco, pão francês, açúcar, massas e não estão permitidos. De maneira geral, qualquer carboidrato simples é proibido. Enquanto isso, não há restrição quanto às proteínas e gorduras. Até mesmo os embutidos são liberados.

Cardápio dieta cetogênica

A seguir, confira um modelo de cardápio de um dia da dieta cetogênica:

Café da manhã: 3 ovos mexidos feito com 2 colheres (sopa) de óleo de coco + 1 copo de 300ml de chá de hibisco com canela ou chá verde com limão

Almoço: 250g de filé de frango + alface lisa à vontade + 3 nozes inteiras + 3 colheres de sopa de abacate

Jantar: 200g de tilápia + 1 maçã + 5 castanhas de caju + 1 colher (sobremesa) de passas + 100g de folhas mistas + 1 colher (sopa) de óleo de macadâmia

Vantagens da dieta cetogênica

Provavelmente, a única “vantagem” é a rápida perda de peso. Contudo, vale ressaltar que nem sempre isso é algo bom. Afinal, peso não indica a sua composição corporal, portanto, ao seguir essa dieta, você pode estar perdendo mais água e massa magra do que gordura.

Desvantagens da dieta cetogênica

Infelizmente, há mais itens listados do que nas vantagens.

Problemas para se concentrar: Sem carboidratos, ficamos com pouquíssima glicose no corpo. Sem glicose no corpo, o cérebro não consegue realizar bem suas funções.

Humor alterado: Os carboidratos são responsáveis por levar o triptofano ao cérebro, que é essencial para a produção de serotonina – o hormônio do bem-estar. Desse modo, é fácil ficar mal-humorado.

Possível perda de massa magra: A restrição extrema de carboidratos pode levar à queima de músculos. Isto ocorre porque a outra fonte alternativa de energia a qual o organismo irá recorrer provém dos aminoácidos presentes nos músculos.

Pode causar hipoglicemia: Poucos carboidratos resultam em baixos níveis de açúcar no sangue. Consequentemente, a hipoglicemia pode atacar.

Aumento de colesterol: A dieta cetogênica estimula o consumo de gorduras, e não só das gorduras boas. O excesso de gorduras saturadas aumenta os níveis de LDL (colesterol ruim), que pode entupir artérias e causar graves problemas cardíacos.

Maior risco de câncer:
Nos embutidos – que são permitidos pela dieta cetogênica – é possível encontrar nitritos. Essa substância aumenta o risco de câncer no aparelho digestivo.

Observações importantes

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que a distribuição dos macronutrientes para pessoas saudáveis deve ser de: 55 a 75% de carboidratos, 10 a 15% de proteínas e 15 a 30% de gorduras.

Saiba mais:

Tudo sobre todas as dietas da moda

Obesidade, hipertensão, diabetes e depressão. O que elas têm em comum?

O que comer antes de dormir?