Arquivo da tag: dieta

O que comer à noite para não engordar?

O que comer à noite?

Aprenda a lidar com a fome noturna e manter-se firme na dieta

Sentir muita fome à noite pode ser um problema sério para quem está querendo emagrecer. E, não, não é porque “comer à noite engorda”. Na verdade, esse é apenas um dos inúmeros mitos que cercam o cenário nutricional. O problema aqui está no excesso, e não no simples ato de comer durante a noite.
Pessoas que sentem fome excessiva durante o período noturno, normalmente, sentem essa fome – digna de um leão – porque não comeram de maneira correta durante o dia. E, obviamente, se você come pouco durante o dia, pode apostar que, ao cair da noite, você cairá matando em tudo que vier pela frente. E o que acontece quando comemos quando estamos com muita fome? Bom, quase sempre, nós passamos (muito) da conta. Afinal, quando estamos com muita fome, temos uma tendência a comer mais rapidamente. Ao comer rápido demais, nosso cérebro não consegue “entender” que o corpo está sendo saciado – daí a importância de comer devagar. Só depois de muita comida, quando já estamos estufados, é que notamos que não precisávamos ter comido tanto. Assim, o arrependimento bate, a culpa nos consome e nos sentimos péssimos por ter desperdiçado todo aquele esforço que foi feito durante o dia.

Comer muito pouco durante o dia não adianta
Portanto, depois de tudo o que foi dito acima, essa é a primeira lição. Comer pouco durante o dia é pedir para compensar tudo à noite, comer mais do que precisa e, claro, acabar engordando.

Pular refeições não ajuda a emagrecer

Pular o café da manhã, o almoço ou qualquer outra refeição só vai te atrapalhar. Em primeiro lugar, porque você vai ficar com fome, causando um estresse desnecessário e, possivelmente, fraqueza e dor de cabeça. E, em segundo lugar, porque isso só vai ajudar seu metabolismo a ficar mais lento. Ao privar seu corpo dos nutrientes necessários, ele entra em um “modo de defesa”. Como assim? Bom, nosso corpo ainda é o mesmo de quando nossos ancestrais – vulgo homens da caverna – caçavam e lutavam contra animais para não morrer de fome. Sendo assim, eles não tinham uma “rotina” alimentar como a maioria de nós temos. Comiam quando conseguiam – e nunca sabiam quando isso seria possível. E é exatamente por isso que temos uma certa tendência a armazenar gordura. Gordura é um estoque de calorias que, em caso de falta de alimentos, nos ajuda a sobreviver. Como nosso corpo não “evoluiu”, ele não sabe que nós não precisamos ficar armazenando gordura – afinal, ao contrário de nossos ancestrais, não corremos o risco de morrer de fome.
Então, resumindo, pare de pular refeições se você quer emagrecer. O segredo não é comer menos: é comer de maneira correta.

O que não comer à noite

Agora que você já absorveu algumas lições importantíssimas, vamos falar dos alimentos. Mas, antes de saber o que comer, é importante saber o que deve ser evitado.
Alimentos com alto teor de gordura, frituras, embutidos (linguiças, salsichas, salames) e queijos amarelos podem ser riscados da sua lista. E não, necessariamente, porque eles podem contribuir para um ganho de peso – lembre-se que tudo é permitido, desde que você saiba se alimentar de maneira inteligente. O que acontece é que esse tipo de comida pode – e vai – prejudicar sua digestão e seu sono. E, como você já sabe, esses fatores são importantes para quem busca o emagrecimento.

O que comer à noite para emagrecer

Vamos listar aqui alguns alimentos que podem ser bons aliados da sua dieta. Contudo, tenha em mente que nenhum alimento por si só emagrece. O que emagrece é uma boa alimentação no geral, e não alimentos isolados.

Leite

Você já ouviu falar no triptofano? Ele é aminoácido precursor da serotonina! Caso você não saiba o que é serotonina, temos certeza de que você ficará feliz em descobrir que ela é uma substância diretamente relacionada à sensação de prazer e bem-estar. E, sim, o leite é riquíssimo em triptofano! Além de ser rico em melatonina, que é um hormônio que atua na nossa regulação do sono. Agora, que tal optar por um copinho de leite antes de dormir? Se puder, dê preferência às versões desnatadas, que possuem menos gordura.

Queijo branco

Se o leite está na lista, é claro que o queijo branco não ficaria de fora, né? Afinal, assim como o leite, ele também é rico em triptofano e melatonina. Ricota e cottage também são boas opções!

Aveia

Mais uma vez, vamos falar do triptofano. Fazer o que se é uma substância tão boa para o nosso corpo, né? A aveia contém vitamina B6, que aumenta a ação do triptofano. Que tal uni-la a um derivado do leite? Iogurte desnatado com aveia é uma ótima pedida!

Chá de camomila ou erva doce

Que tal ir dormir tranquilo com uma ajudinha dos efeitos calmantes que esses chás proporcionam?

Maracujá

Não é necessário comentar sobre o efeito calmante dessa fruta. certo? Aliás, temos aqui mais uma ótima combinação para fazer: bater a polpa da fruta com leite!

| • Quer aprender a comer da maneira correta, emagrecer de maneira saudável e ter uma qualidade de vida muito melhor? Assine o Dieta e Saúde!

Saiba mais:

Obesidade no Brasil aumenta 60% em 10 anos

Abacaxi ajuda a emagrecer e auxilia na digestão

Kefir promete emagrecer e melhorar o intestino

6 maneiras criativas de incluir a quinoa no cardápio

5 ideias de pratos perfeitos para o jantar ou almoço

5 ideias de como montar pratos dignos de grandes refeições para o seu jantar ou almoço e que não estragam a dieta

O almoço e o jantar são refeições nas quais espera-se que o consumo de energia e nutrientes seja maior, e é exatamente por isso que são consideradas grandes refeições que merecem lugar garantido no cardápio do dia. Além de ajudar a recarregar as energias para te dar aquele pique e seguir na rotina do dia, nessas refeições normalmente ocorre o consumo de nutrientes que não estão presentes nas outras, como é o caso do ferro presente em carnes, leguminosas e vegetais verde escuro.

Normalmente a dúvida é saber qual a quantidade certa e tipos de alimentos é preciso colocar no prato. Esse é também sua dificuldade? Aqui no Dieta e Saúde separamos um ótimo truque para te ajudar!

Por onde começar?

Comece imaginando uma linha divide o prato ao meio. Metade do prato você deve preencher com alimentos fontes de vitaminas, minerais e fibras, enquanto a outra metade complete com carboidratos e proteínas.

O primeiro a ir para o prato é o grupo de legumes e verduras. Capriche nas cores, tipos e sabores até completar uma metade do prato. Combine crus e cozidos para estimular a mastigação, e comece a refeição por eles. Para temperar aposte nos temperos naturais como azeite, sal, limão e ervas.

Divida ao meio a outra metade do prato e escolha um alimento ou preparação do grupo de cereais tubérculos ou raízes, as grandes fontes de carboidratos. Arroz integral, macarrão, purês, mandioca, batata, farofa, polenta, risotos, lasanhas são alguns exemplos. Se você não consegue escolher entre o arroz e o purê, diminua a quantidade de cada um.

A parte que falta do prato, complete com um alimento ou preparação do grupo de carnes e ovos, como filé de frango, omelete, estrogonofe, carne assada, entre outros. Acrescente ainda uma porção de leguminosas, ou preparações feitas com elas. Se preferir, você pode incluir as leguminosas na salada e assim acompanhar uma massa que por exemplo, substituiu o arroz. Olha aqui alguns exemplos de pratos montados assim! 🙂

jantar1

jantar2

arroz-feijao-costela-e-salada

Inove nas escolhas

Bom, se você é daqueles que não gosta de comer, ou não tem muito tempo de preparar arroz e feijão no jantar e prefere um sanduiche, pode ficar tranquilo. Desde que você faça um “lanche” com cara de jantar, ou seja, de acordo a variedade de nutrientes dos pratos, não há problema algum em se deliciar com um sanduíche na última refeição do dia.

Portanto, nada de comer algumas unidades de biscoito água e sal com margarina e café puro no jantar, faça um sanduíche caprichado com pão integral, atum, tomate picado, cebola, alface, cenoura e molho de iogurte por exemplo. Já sei, vamos aos exemplos para te inspirar!

lanche1

como-fazer-sanduiche-natural

O que achou dessas sugestões?

E se você quer emagrecer sem deixar de comer o que gosta, Clique aqui e faça sua avaliação de peso e tenha acesso a cardápios completos diariamente e fique ainda mais próximo da sua meta 🙂

Veja mais:

Cardápio para emagrecer: sugestão de 30 pontosDS

Cardápio para emagrecer: sugestão de 35 pontosDS

Dia do lixo na dieta

Exagerei na comida. E agora?

Aprenda a lidar com os exageros na alimentação

Feriados, finais de semana, festas, datas comemorativas… Só de ouvir essas palavras, alguns já tremem de desespero. Tudo isso por causa da comida. Será que é produtivo sentir toda essa culpa ao comer? Devemos ter medo de subir na balança na segunda-feira? Abaixo, confira 3 dicas valiosas para aprender a ter uma melhor relação com os alimentos.

1. “Exagerar” é normal

Antes de entrar nos méritos dessa explicação, vamos nos ater ao seguinte: o “exagero” deve estar bem contextualizado. Não entendeu nada? Calma que já vamos explicar. A comida costuma ser um fator muito importante em nossas comemorações. Casamentos, festas de aniversário e, até mesmo, reuniões com amigos que não vemos há muito tempo são todas ocasiões especiais onde a comida tem um papel especial. Imagine como seria chato ter que se privar daquelas comidas tão gostosas em eventos tão únicos. Todos comendo salgadinhos na festa do seu melhor amigo e você comendo salada. Todos comendo bolo no casamento da sua melhor amiga e você comendo fruta. Será que é preciso apelar assim? A resposta é: não.
Você pode – e deve – participar ativamente desses eventos. E, sim, isso inclui comer. Se você se alimenta corretamente na sua rotina, pode ter certeza de que uma festinha não vai acabar com todos os seus esforços.

2. Um exagero só não vai te engordar

Sério, pode ficar tranquila. Se o exagero não faz parte da sua rotina, não tem por que ficar se martirizando. Muitos pensam que se comerem demais em UM dia da semana, estarão jogando no lixo o esforço de todos os outros SEIS dias. Uma simples continha matemática já mostraria que isso não faz o menor sentido, não é mesmo? Portanto, não deixe de ir naquela festa ou naquele restaurante com os amigos por medo de engordar.

3. Não tenha medo da comida

Ter medo da comida não contribui em absolutamente nada para o emagrecimento saudável. Isso só vai fazer com que você sinta culpa sempre que comer algo que “fuja” da sua dieta. E, como você já sabe, isso é exatamente o que nós, do Dieta e Saúde, não queremos que aconteça. Queremos que você aprenda a ter uma boa relação com os alimentos por meio de uma reeducação alimentar. Desse modo, você não vai ficar se odiando por ter comido um brigadeiro ou um salgadinho. Aprenda a dosar a quantidade e a frequência dos alimentos que você consome. Sem equilíbrio e autoconhecimento é impossível manter uma vida saudável.

| • Quer aprender a comer da maneira correta, emagrecer de maneira saudável e ter uma qualidade de vida muito melhor? Assine o Dieta e Saúde!

Saiba mais:

4 exercícios mentais que te ajudam a emagrecer

5 maneiras de tornar a caminhada MUITO mais eficiente

O que comer à noite para não engordar?

Conheça a história de Lucas, que conseguiu eliminar 74kg com o Dieta e Saúde

Lucas conta como conseguiu perder mais de 70kg com a ajuda de um aplicativo

Os problemas com o peso vieram desde cedo: apelidos, dificuldade para fazer exercícios físicos, lesões e até deixar de praticar o tão amado futebol. “Sempre sofri bullying por causa do meu peso. Não fazia sucesso com as mulheres, tinha dificuldades para ajudar meu pai na fazenda e, depois de um tempo, tive até que parar de jogar bola e andar a cavalo. Devido ao excesso de peso, tive duas torções no joelho enquanto jogava futebol. O trabalho na fazenda de seu pai na pequena cidade de Nhandeara no interior de São Paulo demandava muito esforço
físico e ele sentia dificuldades para realizar as tarefas diárias. A transpiração em excesso era uma das coisas que mais o incomodavam. “Lá o trabalho era muito pesado, além de fazer muito calor aqui em Nhandeara onde moro. Por estar acima do peso, eu me sentia completamente indisposto e transpirava muito. Transpirava até parado”!

Depois de passar pela nutricionista, endocrinologista e por um psicólogo, Lucas admite que não adiantava ter todo esse auxílio sem antes mudar sua mentalidade. “Com 18 ou 19 anos eu cheguei a fazer um acompanhamento com uma nutricionista, mas não deu certo. Não foi por culpa dela, mas sim da minha mentalidade. Eu ainda precisava entender a necessidade de manter uma vida saudável. Também cheguei a passar no endocrinologista e consegui perder 10kg, mas decidi parar com o tratamento. Além dos remédios serem caros, eu não queria viver à base desses medicamentos fortes”.

Passado um tempo, Lucas foi aprovado no vestibular e foi morar em outro estado. A partir desse momento, os problemas com a balança se agravaram. Com uma rotina desgastante, ele não conseguia se alimentar bem e acabou engordando mais do que esperava. “Fiquei 6 anos morando em Maringá, no Paraná, para fazer faculdade e foi lá que piorei ainda mais. Além de estudar, eu trabalhava em um escritório, ficava sentado o dia inteiro e só comia porcaria. Em Maringá, a cada esquina você encontra um restaurante baratinho. Embarquei pesando cerca de 130kg e, quando voltei para minha cidade, estava pesando 180kg. ”

O Reencontro com o Dieta e Saúde

“Quando voltei para Nhandeara, fiquei no Seguro-Desemprego por um tempo. Acabei recebendo o convite de uma prima que mora em Petrópolis, no Rio de Janeiro, para passar um tempo com ela. Como ela é médica, quis me ajudar a perder peso imediatamente. Começamos a pesquisar sobre coisas relacionadas à dieta e ela encontrou o Dieta e Saúde. Conforme ela foi me explicando sobre a metodologia da Dieta dos Pontos e sobre como funcionava o aplicativo, eu percebi que aquela tela não me era estranha. Ao fazer minha avaliação e cadastro no site, vi que eu estava certo lembrei de tudo: eu já tinha feito cadastro no Dieta e Saúde há, mais ou menos, 3 anos., mas Ssequer cheguei a usar. Dessa vez, com a explicação da minha prima, fiquei impressionado com a facilidade de usar o aplicativo e comecei a usá-lo na hora!

Impressionado, Lucas se empolgou e começou a incluir exercícios físicos leves em sua rotina. “Eu achava incrível que o app me lembrasse a hora de comer e quando devia beber água. Me adaptei bem rápido e perdi 3kg logo na primeira semana!”! Além do Dieta e Saúde, comecei a usar a academia do condomínio em que eu estava hospedado e até a fazer natação. Quem também me ajudou muito nesse período foi a Dona Dalva, que trabalhava para minha prima. Por já ter trabalhado em restaurantes, ela possuía uma habilidade ímpar na cozinha! Eu olhava as sugestões dos cardápios diários no aplicativo e mostrava para a Dona Dalva, que ficava responsável por preparar as refeições. Fiquei com minha prima até dia 29 de maio, mais ou menos, e já estava pesando 159kg! Era uma vitória para mim”.

De volta para minha terra

“Quando voltei para minha terrinha, foi a vez de pedir a ajuda da minha mãe na cozinha.
Continuei utilizando o Dieta e Saúde e, até agora, perdi 74kg. Hoje, fico muito
feliz de usar roupas menores. No ápice do meu peso, cheguei a usar camisetas
XGG e calças 70. Hoje, uso GG e calças 50. Também me sinto mais confiante em
relação às mulheres, é, simplesmente, outra vida.

Ainda há metas para bater

Agora, Lucas está perto de realizar um sonho, de voltar a andar a cavalo e de poder
voltar a jogar futebol. “Sempre quis pular de paraquedas, mas na época
precisava ter cerca de 70kg, além de estar com a saúde em dia. Não sei como
funciona atualmente, mas em breve vou realizar essa meta. Ainda tenho alguns
quilos para perder e a minha meta é chegar em dois dígitos na balança.
Futuramente, quero voltar a jogar futebol! ” “Jamais imaginaria que eu fosse me tornar um dos casos de sucesso. Essa dieta de pontos é excelente! Poder emagrecer comendo de tudo é incrível! Já indiquei o Dieta e Saúde para muitas pessoas e várias delas começaram a utilizar por minha recomendação”.

Quer fazer igual o Lucas? Clique aqui para assinar o aplicativo e comece a emagrecer hoje mesmo!

Veja mais:

“Dizem que pareço 10 anos mais jovem” – Conheça a história de Izabel, que conseguiu emagrecer 27kg com o Dieta e Saúde

Jaqueline conseguiu emagrecer 30kg em 1 ano com a ajuda do Dieta e Saúde

“Aprendi um estilo de vida pra sempre, não uma dieta de emagrecimento” – Conheça a Alice que eliminou mais de 19kg

Exercícios físicos diminuem a vontade de comer doce, diz estudo

A resposta para o vício no açúcar pode estar nos exercícios

A primeira coisa que você tem que ter em mente é que é possível, sim, emagrecer sem ter que deixar de comer aqueles doces que você ama! Com uma reeducação alimentar bem feita, você perde peso de maneira natural e sem privações exageradas! E se você ainda duvida que isso é possível, clique aqui para ver vários depoimentos de pessoas que emagreceram sem ter de deixar que comer o que gostam!

Agora, vamos a parte dos exercícios! Confira o texto publicado pelo site Minha Vida, que mostrou os resultados de uma pesquisa feita pela Universidade de Leeds, na Inglaterra.

Para o trabalho, feito com 180 participantes, foram avaliadas a capacidade respiratória das pessoas, sua composição corporal e seus índices metabólicos. Depois, foram criados três grupos, entre os que praticavam alguma atividade de alta intensidade, média intensidade e baixa intensidade.

O próximo passo foi registrar o apetite de cada participante, incluindo seus gostos pessoais e grau de saciedade. Na análise, foi possível observar que os participantes mais ativos esportivamente consideravam em até 15% das vezes comidas gordurosas como menos atraentes do que os menos ativos.
Apesar dessa análise, os autores do estudo destacam que ainda são necessários novos testes. “O que nós descobrimos é que existe uma clara relação entre a intensidade da atividade física, aumentando a frequência cardíaca, produzindo suor e o desejo de comer itens cheios de gordura”, disse o pesquisador Graham Finlayson, em entrevista para o jornal The Telegraph.
“Podemos especular que aqueles que já ganham sua recompensa e alegria diárias ao se exercitarem são menos propensos a sucumbir às tentações das junk foods”, finaliza ele.

Saiba mais:

Doces perfeitos para quem quer emagrecer

Como diminuir a vontade de comer doces

Detox: riscos, mitos e verdades

Conheça os prós e contras de adotar uma dieta líquida

A Dieta Detox vem conquistando um espaço considerável entre outras tantas dietas da moda. Com a promessa de “desintoxicar” proporcionando um rápido emagrecimento, ela vem ganhando muitos adeptos. Contudo, ela tem seus (muitos) problemas.

Desintoxicação

Eis a palavra que é a pura essência desse método. Por alguma razão, as pessoas, simplesmente, “piram” ao ouvir esse termo. A mídia obteve um êxito tão grande em relacionar a palavra “desintoxicação” ao emagrecimento e o desinchaço que qualquer alimento com tal atributo é endeusado instantaneamente. Consequentemente, a indústria que vende tais produtos lucra horrores com falsas promessas. O que a maioria não sabe é que nosso próprio corpo já possui, naturalmente, mecanismos naturais de desintoxicação: o fígado e o sistema renal. Portanto, se você quer começar uma dieta detox porque quer “desintoxicar” seu corpo, saiba que você estará perdendo tempo (e dinheiro). Quer manter seu corpo livre de toxinas? Basta manter uma alimentação saudável! Consuma legumes, verduras, alimentos integrais, carnes magras, beba muita água e pronto! Você estará “desintoxicada”, saudável e cheia de disposição.

Dieta Detox emagrece?

Sim, emagrece. Contudo, isso não quer dizer, necessariamente, algo bom. Esse método faz com que você perca peso devido a drástica redução de calorias consumidas. Obviamente, isso faz com que a pessoa acabe emagrecendo. No entanto, o método não leva em conta sua saúde mental nem sua saúde física. Além de não levar em conta sua necessidade calórica e te privar de nutrientes essenciais presentes em alimentos sólidos.

Quais os riscos?

Ao trocar uma alimentação normal por uma dieta líquida, você restringe seu corpo de diversos nutrientes que podem estar presentes em carnes, ovos, leites e derivados. Ao fazer isso por vários dias, os danos na saúde vão ficando evidentes: fraqueza, tonturas, dores de cabeça, dificuldade de concentração e, em casos mais graves, desmaios.
Além disso, o excesso de líquidos não é algo bom. O controle de eletrólitos (potássio e sódio) no corpo, feito pelos rins, pode passar por um desequilíbrio, aumentando a eliminação de água. Isso, em casos mais sérios, provoca desidratação.
O fígado pode ficar sobrecarregado, devido a ingestão exagerada de bebidas líquidas, e não realizar bem suas funções.
E, por fim, você corre um grande risco de sofrer do “efeito sanfona”. Afinal, você pode, sim, perder muito peso com a Detox. Contudo, a implantação dessa dieta não faz com que hábitos saudáveis sejam incorporados no cotidiano. Assim, uma vez que o indivíduo retorne à sua rotina alimentar antiga, o peso perdido tende a ser adquirido rapidamente.

| • Quer emagrecer sem passar fome e sem deixar de comer o que gosta? Assine o Dieta e Saúde e comece a ter uma vida mais saudável hoje mesmo!

Saiba mais:

Café emagrece?

Mitos e verdades sobre carboidratos

Benefícios do limão

Razões para incluir o limão na dieta hoje mesmo

Há quem diga que o limão é emagrecedor. Como já sabemos, nenhum alimento, por si só, emagrece. Se você quer emagrecer de maneira saudável e sem deixar de comer o que gosta, assine o Dieta e Saúde!
Contudo, alguns alimentos têm, sim, o poder de ajudar no processo de emagrecimento. De acordo com a nutróloga Dra. Tamara Mazaracki, o limão é um deles. Confira o texto que ela produziu para o site do Minha Vida sobre os benefícios dessa fruta.

Tipos de limão e nutrientes

Ao todo, estima-se que existam cerca de 100 espécies no mundo. No Brasil encontramos quatro tipos principais: tahiti, galego, siciliano e cravo. Limão contém vitamina C, ácido cítrico, diversos bioflavonoides, vitaminas do complexo B, folato, cálcio, ferro, magnésio, fósforo, potássio e fibras. Não há grandes diferenças entre os valores nutricionais presentes nos diversos tipos de limão.

Alimento alcalino

O limão é ácido no sabor, porém tem ação alcalinizante no organismo. Na verdade o limão é um dos alimentos mais alcalinos e isso é ótimo para neutralizar a tendência à acidez no corpo. O limão induz à produção de agentes alcalinos nos fluidos corporais, ajudando a restabelecer um pH equilibrado, o que contribui para a vitalidade e a longevidade.

Antioxidante

O limão é excelente fonte de vitamina C e de flavonoides (hesperidina, polifenóis, ácido elágico), com ação antioxidante e imunoestimulante, ajudando o corpo a lutar contra gripes e resfriados, e outras infecções.

Digestão

O limão ajuda na digestão porque estimula o fígado a produzir mais enzimas digestivas, melhora a ação da bile (que digere as gorduras), tem uma composição química semelhante à da saliva e do ácido clorídrico produzido pelo estômago atuando na digestão de amidos e proteínas, e ainda estimula a função intestinal, ajudando a corpo a eliminar os resíduos com maior eficiência.

Diluidor

O ácido cítrico presente no suco de limão ajuda a dissolver os cálculos biliares, os depósitos de cálcio nos vasos sanguíneos e as pedras nos rins, além de diluir e eliminar o ácido úrico (um cristal causador da gota).

Anticancerígeno

O fruto contém 22 compostos diferentes com ação anticancerígena, incluindo o limoneno, um óleo que retarda ou paralisa o crescimento de tumores em animais, e glicosídeos de flavonol que param a divisão celular em células cancerosas.

Neuroprotetor

A casca de limão contém um potente fitoquímico, a tangeretina, que se mostrou eficaz para prevenir distúrbios cerebrais, como a doença de Parkinson. Um estudo com animais mostrou que a tangeretina tem ação neuroprotetora e aumenta os níveis de dopamina, um neurotransmissor que tem seus níveis reduzidos nos portadores de Parkinson. A tangeretina ainda ajuda a reduzir a taxa de colesterol e tem ação antitumoral na leucemia.

Limão ajuda a emagrecer

A naringenina, um flavonoide encontrado em cítricos, apresentou grande potencial para prevenção da obesidade e da síndrome metabólica (onde o acúmulo de gordura visceral evolui para o diabetes tipo 2 e favorece a ocorrência de doenças do aparelho cardiovascular) em recente estudo realizado por pesquisadores canadenses e publicado na revista Diabetes, da American Diabetes Association.
O estudo feito com camundongos mostrou que os animais que tiveram a alimentação enriquecida com naringenina apresentaram melhora dos níveis de colesterol e triglicerídeos, assim como uma redução da resistência à insulina e o metabolismo da glicose normalizado, um dos fatores que influencia diretamente o emagrecimento. Não houve restrição calórica e nem de gordura administrada às cobaias. Dois grupos de camundongos foram alimentados da mesma maneira, mas somente um deles teve o flavonoide adicionado à alimentação e este grupo não desenvolveu obesidade e outras disfunções metabólicas.

Vitamina C detona gordura

Diversos estudos correlacionaram um nível baixo de vitamina C circulando no sangue com o aumento de gordura corporal e da medida da circunferência abdominal. Uma pesquisa realizada em 2006 na Universidade do Arizona verificou que a vitamina C circulante está diretamente ligada à oxidação das gorduras, que é a habilidade do corpo de usar a gordura como combustível durante a prática de atividades físicas e no repouso, ou seja, com níveis adequados de vitamina C o corpo queima mais eficientemente a gordura estocada.

Dose diária

Para ter saúde um limão por dia é suficiente, mas nada impede que você consuma dois ou três. Tome água com limão para um rápido detox, faça uma limonada (aproveite a casca), acrescente em outros sucos (combina com tudo), tempere saladas e legumes, esprema na sopa ou no prato pronto (pescados e carne). Um alerta: evite chupar o limão para não danificar o esmalte dental, devido ao seu alto conteúdo de ácido cítrico.

Saiba mais:

14 temperos naturais para substituir o sal

Dicas para aumentar a saciedade

Como manter o corpo bem hidratado

Reclamar demais engorda

A negatividade pode ser pior do que imaginávamos

Você costuma reclamar muito? Cuidado! Esse hábito aumenta os níveis de cortisol no organismo. Para quem não sabe, o cortisol é um hormônio que ajuda nosso corpo a controlar o estresse, assim como os níveis de açúcar no sangue e a pressão arterial. Más notícias para os reclamões: altos níveis de cortisol estão diretamente relacionados com o ganho de peso.

Você sabia que manter um estilo de vida saudável é uma ótima maneira de controlar o estresse? Se você quer começar a viver com mais tranquilidade e qualidade, assine o Dieta e Saúde, nós te ajudamos nessa!

Confira a matéria publicada pelo site do Minha Vida:

De acordo com o cientista e filósofo Steve Parton, do Psych Pedia, esses hábitos negativos reestruturam o cérebro, facilitando o surgimento de novos pensamentos ruins no futuro, de forma aleatória. Inclusive, reclamar demais pode até enfraquecer o sistema imunológico, provocando o aumento da pressão arterial.
Parton explica que as informações dentro do cérebro fluem de um neurônio para o outro através das sinapses. Estas, por sua vez, são separadas por um intervalo chamado fenda sináptica. Quando você tem um pensamento, um pulso elétrico sinaliza a sinapse para disparar uma reação através da fenda para a outra sinapse, formando uma ponte para o sinal elétrico.
“Toda vez que essa carga elétrica é acionada, as sinapses ficam mais juntas, diminuindo a distância que a carga elétrica tem que atravessar”, afirma Parton. Dessa forma, quanto mais você faz comentários ruins e reclamações, mais facilmente esses pensamentos serão repetidos pelo seu cérebro.

“Pela repetição do pensamento, você aproxima cada vez mais as sinapses que representam essas inclinações negativas e, quando surgir o momento oportuno, o pensamento que surgirá primeiro será o que tem a menor distância para percorrer, o que irá criar uma ponte entre sinapses mais rápido”, explicou o cientista.

Além disso, a raiva e a frustração geradas pelas reclamações fazem o organismo liberar cortisol, o hormônio do estresse. O aumento do cortisol no organismo contribui para uma maior pressão arterial e colesterol, enfraquecimento do sistema imunológico e problemas de aprendizagem e memória, de acordo com Parton. Os efeitos do cortisol podem também contribuir para o aumento do risco de diabetes, doenças cardíacas e obesidade.

O cientista também alerta que conviver com pessoas negativas e que reclamam muito pode ter um efeito ruim igualmente ruim na sua saúde. Isso acontece por causa da empatia, que mesmo inconscientemente nos faz compartilhar as emoções de nossos amigos, realizando sinapses semelhantes em nossos próprios cérebros.

Saiba mais:

Conheça as 8 profissões que mais engordam

O que comer à noite para não engordar?

Comer grãos integrais diariamente equivale a uma caminhada de 30 minutos, diz estudo

 

Você diz que não consegue emagrecer porque está sem tempo para se exercitar? E se te dissessem que é possível suprir os exercícios físicos, simplesmente, mantendo uma boa alimentação? Bom, pelo menos é o que um estudo publicado no Jornal Americano de Nutrição Clínica está apontando. Confira a matéria publicada pelo site do Minha Vida.

| • Quer aprender a incluir grãos integrais e outros nutrientes essenciais na sua alimentação? Assine o Dieta e Saúde e comece uma vida mais saudável hoje mesmo!

Um estudo, publicado no periódico American Journal of Clinical Nutrition, revelou que o consumo de grãos integrais pode ajudar na perda de peso, uma vez que aumenta o metabolismo e reduz a quantidade de calorias que são mantidas durante a digestão.
A pesquisa foi realizada durante oito semanas com 81 homens e mulheres que tinham entre 40 e 65 anos. Nas duas primeiras semanas do estudo todos os participantes comeram o mesmo tipo de alimento, sendo determinadas as necessidades de calorias individuais. Após esse período, os voluntários foram divididos aleatoriamente: um grupo deveria consumir cereais integrais, como arroz integral e farinha de trigo integral, enquanto o outro consumiria grãos refinados, como arroz branco e farinha branca.

Contudo, ambos seguiram dietas semelhantes em energia total, gordura total e número de porções de frutas, vegetais e proteínas. ?Nós fornecemos todos os alimentos para garantir que as dietas só se diferenciariam na fonte de grãos?, explicou Susan B. Roberts, cientista do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos.
Os participantes foram instruídos a comer apenas alimentos fornecidos pela equipe de pesquisa e deveriam continuar com a rotina de atividades físicas com a qual já estavam acostumados.
A análise, realizada no Laboratório de Metabolismo Energético do Centro de Pesquisa em Nutrição Humana (HNRCA) da Universidade Tufts, nos Estados Unidos, comparou os efeitos dos grãos integrais e refinados sobre as taxas metabólica de repouso, perda fecal de energia e a saciedade dos integrantes do estudo.
De acordo com os pesquisadores, os participantes que consumiram grãos integrais perderam quase 100 calorias a mais por dia do que os participantes que se alimentaram com a versão refinada. A explicação para a descoberta é que as fibras causaram uma diminuição na quantidade calórica absorvida durante a digestão das refeições.
“As calorias extras perdidas por aqueles que comeram grãos integrais foi equivalente a uma caminhada rápida de 30 minutos, o que permitiria aos voluntários um pequeno cookie extra todos os dias sem ter consequências calóricas”, concluiu Susan. Além disso, os membros do grupo que consumiram grãos integrais tiveram uma melhora no sistema imunológico e aumento no número de bactérias boas no intestino.

Saiba mais:

6 melhores carboidratos para quem quer emagrecer

40 alimentos baratos para incluir na dieta

Dicas para aumentar a saciedade

Nada de passar fome durante o processo de emagrecimento

Você acaba de comer e já sente fome? Talvez você esteja errando na escolha dos alimentos. Alimentos ricos em fibras, proteínas e água possuem uma maior capacidade de controlar nosso apetite. Afinal, eles nos mantém saciados por mais tempo. O site Minha Vida separou dicas valiosas para você nunca mais passar fome na dieta.

| • Quer emagrecer sem passar fome e sem deixar de comer o que gosta? Assine o Dieta e Saúde e comece a ter uma vida mais saudável hoje mesmo!

1. Café da manhã reforçado

Para não sentir fome ao longo do dia, o ideal é saborear um café da manhã rico em nutrientes, assim não chegamos na hora do almoço querendo abocanhar tudo o que vemos pela frente.
“A mistura de uma xícara de frutas picadas coberta com um pote de iogurte light, duas colheres de sopa de granola e uma colher de sopa de geleia resulta em um sabor intenso que mata a vontade de comer doce ao longo do dia”, recomenda a nutricionista Cyntia Antonaccio, da Equilibrium Consultoria.”Essa mistura é rica em fibras e, além de não prejudicar o regime, ajuda a não sentir fome”.
De acordo com a nutricionista Patrícia Bertolucci, é importante não deixar alguns grupos de alimentos de fora do desjejum. São eles:

Cereais integrais:

prefira a versão integral dos carboidratos, que auxilia no trânsito intestinal, já que possuem mais fibras. Eles também contribuem para a saciedade, pois demoram mais para serem digeridos.

Laticínios:

as proteínas presentes nos laticínios oferecem maior saciedade, pois a digestão é mais lenta, retardando o esvaziamento gástrico e, consequentemente, a fome.

Frutas:

são excelentes fontes de fibras, vitaminas, minerais e antioxidantes vitais para o bom funcionamento do nosso corpo. As frutas de cor alaranjada, ricas no pigmento betacaroteno, como o mamão, contém vitamina A, que é importante para manutenção da saciedade.

Vitamina poderosa

No meio da tarde ou antes do almoço, uma aliada para espantar a fome é a vitamina. Com os ingredientes certos, você aproveita todos os benefícios e garante muita saciedade. “Optar pelas vitaminas com alimentos de cor alaranjada (cenoura, laranja, mamão), também é uma ótima opção para afastar a fome. Sem contar que a vitamina A, presente nessas frutas e legumes, auxiliam o funcionamento dos pulmões e do coração, dos olhos e do sistema imunológico”, explica a nutricionista Patrícia Bertolucci.

Receita de Smoothie de mamão

Ingredientes
– 1 fatia de mamão
– 3 ameixas pretas sem caroço deixadas de molho
-1 colher (sobremesa) de semente de linhaça triturada
– ½ copo de leite de soja gelado

Modo de preparo
Coloque as ameixas e a água das ameixas no liquidificador. Junte o restante dos ingredientes e bate no liquidificador. Sirva em seguida.

2. Almoço

Para a hora do almoço, existem diversas opções de pratos que ajudam a manter a saciedade e te livram da fome que aparece no meio da tarde.

Aposte no arroz com feijão

A dupla é aliada da dieta. O arroz possui várias vitaminas do complexo B, carboidratos, cálcio, folato e ferro. Já o feijão é um alimento rico em proteína vegetal, fibras, fonte de ferro e vitaminas do complexo B. “Ele é um tipo de amido resistente, ou seja, o carboidrato do feijão demora mais tempo para se transformar em glicose (açúcar no sangue), evitando picos de insulina e que o metabolismo fique lento”. “Além do valor nutricional, a ingestão do arroz com feijão proporciona uma saciedade de longa duração, muito diferente do hambúrguer, por exemplo, que nos faz sentir empanturrados e, em pouco tempo, sentir fome”, diz Patrícia Bertolucci.

Vegetais até o talo

Outra dica para deixar seu almoço farto de nutrientes, é apostar nos talos de vegetais, que ajudam a dar sustância. “Eles deixam as refeições mais completas já que apresentam um número grande de nutrientes, assim a fome demora mais para voltar. Podemos optar pelos talos de couve-flor, nabo, beterraba e adicioná-los a farofas, no cozimento do arroz e em sopas. As opções são super variadas”, diz a nutricionista Patrícia.

3. Uma dica para o jantar

Para que o jantar esteja equilibrado, é necessário ter um alimento de cada grupo alimentar, no entanto, consumidos em menores quantidades. “Assim, a fome não aparece no meio da noite e acordamos com o apetite controlado para o café da manhã”, diz Patrícia. O jantar deve conter:

– Carboidratos (arroz integral, batata, macarrão integral)
– Leguminosas (feijão, soja, grão de bico)
– Carne (frango, carne vermelha magra, peixe)
– Verduras (alface, rúcula, agrião)
– Legumes
– Frutas (maçã, pera, uva)

Aposte nas folhas

As folhas verdes são campeãs de fibras e também contam com outra particularidade quando o assunto é saciedade. “Elas exigem muita mastigação. Este é um mecanismo fundamental para o cérebro avisar a hora certa de você parar de comer”, explica Patrícia. “Não deixe de acrescentar ao seu prato alimentos ricos em fibras (alimentos integrais), que possuem baixo índice glicêmico e dão uma sensação de saciedade maior, evitando a fome alguns minutos depois do jantar”, dia a nutricionista.

Saiba mais:

19 formas fáceis de seguir uma alimentação saudável

Como consumir mais frutas, verduras e legumes

10 alimentos que nos deixam mais felizes