Arquivo da tag: ansiedade

Não deixe o seu humor abalar a dieta

Você sabia que o seu humor pode afetar bastante a sua dieta? É comum, qualquer tipo de alteração na rotina fazer o humor oscilar: seja por conta do trânsito, do despertador que não tocou, da mancha de café que apareceu na camisa branca, etc. E é só mudar seu estado de espírito que logo aparece aquela vontade incontrolável, e aparentemente sem motivos, de comer doces, comidas incrementadas e até de passar o dia inteiro beliscando. Uma vontade, aparentemente, sem motivos. “A busca por determinado alimento tira a atenção que seria concentrada na emoção”, diz a nutricionista Daniela Hueb. Veja algumas reações, citadas pela especialista, que fazem você comer compulsivamente.

Fim à tristeza

Quando a felicidade sai de cena, a busca por petiscos provoca uma sensação momentânea de que o sentimento não está ali. “Passar o dia beliscando é uma tentativa de direcionar a atenção a algo que não seja a emoção do momento”, explica a nutricionista.

Chega pra lá na ansiedade

Antes de uma entrevista de emprego ou daquele passeio que está sendo programado a dias, a ansiedade aparece e a busca por chocolates e doces suculentos, em geral, aumenta. “Eles são fáceis de ingerir e causam tranquilidade momentânea”, explica Daniela Hueb.

Passa fora no desânimo

Problemas na empresa, brigas com o namorado e algumas discussões com a família podem fazer o desânimo aparecer. Alimentos coloridos deixam o dia mais alegre quando ele parece não fazer sentido. “Essa emoção faz a pessoa buscar, por exemplo, sanduíches grandes e sorvetes com diversas coberturas”, explica a nutricionista.

Pontapé no nervosismo

Quando o nervosismo aparece, a vontade de comer alimentos crocantes cresce. “Esse tipo de alimento precisa ser mastigado com maior força, tornando-se mais atraente quando a pessoa está nervosa”, completa a especialista.

Para não cair na tentação

Quando a alimentação serve de válvula de escape para o descontrole dos sentimentos, seguir o regime parece ser uma tarefa difícil. Organizar o dia a dia é fundamental para não cair na cilada. “Observar o que está causando a alteração de humor e mudar os hábitos lentamente vai ajudar a não ceder às emoções”, completa Daniela Hueb.

| • Quer emagrecer sem passar fome e sem deixar de comer o que gosta? Assine o Dieta e Saúde e comece a ter uma vida mais saudável hoje mesmo!

Veja algumas dicas da nutricionista para que seu humor não sabote a balança:

– Faça da alimentação uma rotina: coma sempre no mesmo horário; caso sinta fome, mesmo tendo se alimentado há poucas horas, espere um pouco e tome um copo cheio de água gelada.

– Crie um diário alimentar: anote nele tudo o que for consumido, a quantidade e o que sentiu em cada momento.

– Planeje lazer para si mesmo: tenha eventos agradáveis.

– Cuidado com o que guarda na despensa: chocolates e doces podem ser uma tentação quando o humor oscilar e a vontade súbita aparecer. “Tenha em mãos doces ou sorvetes em versões light, mas, mesmo assim, não é para abusar”, alerta a nutricionista.

– Pratique esportes: a atividade física, ao menos duas vezes por semana, provocará uma sensação de descanso. Se não tiver tempo, separe-a para os finais de semana. (Para ajudar, nós temos vários vídeos de exercícios aqui no blog, como este aqui!)

Para ajudar a seguir firme e forte na dieta, nós temos reuniões online com nutricionistas e psicóloga toda semana, sabia?  São abordados vários temas que super legais para o suporte ao emagrecimento. Faça aqui uma avaliação de peso gratuita e comece a emagrecer com a gente! 😉

Saiba mais:

Ivany emagreceu 55 kg: “Achava que para me divertir tinha que comer, mas mudei”

Cardápio para emagrecer: sugestão de 35 pontosDS

Excesso de peso matou 4 milhões de pessoas em 1 ano

9 dicas para controlar a ansiedade e ajudar a emagrecer

ansiedade e emagrecimento

Oi gente!
Tudo tranquilo aí?

Falar de ansiedade é super comum, né? A ansiedade já faz parte da nossa rotina e o excesso dela pode comprometer o bem-estar, levar ao estresse e até o surgimento de doenças e transtornos alimentares, como a anorexia nervosa, bulimia nervosa, alimentação compulsiva, entre outros. No entanto, há uma série de hábitos saudáveis que podem ajudar a controlar ou diminuir o nível de ansiedade.

Dê atenção à alimentação – Descontamos a ansiedade de diversas formas, portanto, ao iniciar uma refeição, preste atenção na alimentação, coma devagar e mastigue bem os alimentos. Isso vai te dar uma maior sensação de saciedade.

Doces – No momento da ansiedade, muitas pessoas optam por comer doces. Se essa vontade for grande, dê preferência aos alimentos com baixas calorias, como gelatinas, balas de alga, doces com frutas e até mesmo frutas.

Exercite-se – Se quiser obter o controle das reações da mente e do corpo, abuse dos exercícios. O estresse e situações difíceis estão diretamente relacionados com a ansiedade. Por isso, para combatê-la, a atividade física pode ser uma ótima alternativa. (Nós temos vários vídeos de exercícios aqui no blog, como este aqui!)

Estimulantes – A ansiedade pode ser estimulada sem ao menos notarmos, por isso, evite álcool, bebidas com cafeína, chás verdes e cigarros, pois estas substâncias são estimulantes e podem aumentar a sensação de nervosismo.

Ambiente – A ansiedade está fortemente associada à compulsão, por isso, durante as refeições, fuja de ambientes agitados, e evite distrações como assistir televisão, usar o computador ou celular. Isso ajudará a ter uma refeição mais tranquila, adequada e agradável.

| • Emagreça até 4 quilos por mês comendo de tudo. Clique aqui, e faça a sua avaliação de peso 🙂

Desvie o foco – Não desconte a ansiedade nos alimentos. Desvie o foco da comida e busque fazer outras atividades, como ouvir música e assistir um filme. Tenha sempre uma alternativa para deixar o alimento de lado e relaxar. Estando com a mente ocupada, a ansiedade não terá espaço.

Concentração – Normalmente em momentos onde a ansiedade está alta, nossa respiração muda, e passa a ficar rápida e curta. Nessa hora é indispensável se concentrar para deixar a respiração completa e profunda.

Autoconhecimento – Algo muito importante é se conhecer e entender os pontos que devem ser melhorados ou aperfeiçoados. Descubra quais são as suas fraquezas, pois o autoconhecimento ajuda a controlar a ansiedade.

Beba chá – Os chás que contêm substâncias sedativas suaves também ajudam no autocontrole. Dê preferência para os chás de melissa, camomila e erva doce. O maracujá também possui propriedades calmantes, tanto a fruta como suas folhas.

Você sabia que nós temos reunião online com psicóloga toda semana? Ela fala sobre ansiedade e outros temas que são super legais para o suporte ao emagrecimento. Faça uma avaliação de peso gratuita e comece a emagrecer com a gente!

Grande abraço!

Como diminuir a vontade de comer doce

Dicas para controlar os impulsos e alcançar o emagrecimento

Muita gente faz tudo certinho na dieta, mas acaba “pecando” nos doces. Como sabemos, os doces são, sim, permitidos no processo de reeducação alimentar, desde que o equilíbrio seja mantido. Um docinho não vai te engordar, se ele for uma exceção. Agora, se ele for uma regra e você consumir em excesso todos os dias, suas chances de engordar são maiores.
Se você tem dificuldade para controlar aquele desejo por açúcar, confira as dicas a seguir.

Como saciar a vontade de comer doce

Se você já está acostumada a comer doces todos os dias, não pense que excluir todos os doces da sua vida de uma vez é uma boa ideia. Restrições desse tipo não contribuem para que você crie uma boa relação com os alimentos – ao invés de ter “medo” da comida. Portanto, comece a diminuir as quantidades aos poucos. Faça uma autoanálise e veja em quais períodos você costuma ter aquele ataque frenético de ansiedade para comer um doce e se pergunte por que isso tem acontecido. Utilizar o diário de pontos para manter um maior controle sobre os alimentos que você ingere durante o dia é uma ótima opção. E, claro, procure fazer substituições mais inteligentes! Troque o chocolate por alguma fruta que você gosta muito e, talvez, um iogurte ou barrinha de cereal.

• Quer emagrecer sem deixar de comer o que gosta? Clique aqui e faça sua avalição de peso. É de graça!

Vontade de comer doce no almoço

Essa “vontade” não se trata de uma tentação, mas sim de uma necessidade fisiológica! O açúcar é o alimento dos neurônios e nosso corpo precisa dessa substância para sobreviver.
E não é brincadeira: bastam 5 minutos sem glicose para uma pessoa morrer.
A glicose dá aquela sensação de prazer e felicidade, além de funcionar como uma defesa contra o estresse. Isso ocorre porque ela mexe com neurotransmissores ligados a esses sentimentos, como a dopamina e a serotonina.
Depois do almoço – às vezes até depois da janta – bate aquela vontade de comer doce porque a digestão de alimentos mais “pesados” demora mais e, sendo assim, o corpo continua com fome.

Vontade de comer doces na TPM

Já se perguntou por que a vontade de se afogar num mar de chocolate é muito maior quando estamos de TPM? Isso acontece porque essa vontade está relacionada a uma alteração dos neurotransmissores cerebrais, especialmente a serotonina, fazendo com que uma alteração no centro de controle do apetite aconteça. E, assim, surge aquela vontade maluca de se entupir de chocolate na TPM.

Permita-se, mas controle-se

Tenha em mente que o nosso objetivo aqui é reduzir a quantidade de doces, e não excluir os doces da sua vida. Como vimos, a glicose (seja de doces ou aquela presente nos carboidratos) é necessária para o bom funcionamento do nosso organismo. Mantenha o equilíbrio e veja como é possível emagrecer sem deixar de viver.

Saiba mais:

Meditação para emagrecer

Mantenha a dieta mesmo comendo fora

Aproveite o feriado sem engordar

Descubra como controlar a ansiedade

178445186

Mente inquieta, sofrimento por antecipação, impaciência, dificuldade de desfrutar a rotina e de lidar com pessoas lentas, irritabilidade, cansaço físico exagerado, dificuldade de concentração, déficit de memória, transtornos do sono (as vezes até insônia) e baixo limiar para suportar frustrações (pequenos problemas causam grandes impactos no humor). E então, se identificou com alguns desses comportamentos? Essas são algumas das características típicas de quem sofre com o mais novo “mal do século”: a ansiedade.

Antes de qualquer coisa, é preciso esclarecer que o sintoma ansiedade faz parte de todas as pessoas. É ela que te faz se preparar para possíveis situações de risco, como estudar para uma prova, olhar para os dois lados antes de atravessar a rua, e ficar até um pouco mais inquieto antes de uma entrevista de emprego. No entanto, o problema é quando essa ansiedade se torna excessiva e desproporcional, a ponto de reconhecer a grande maioria das situações do dia a dia, como de risco, e então provoca respostas exageradas que intensificam sentimentos como incerteza, aflição e angústia.

O ansioso pensa muito rápido, porém perde qualidade em suas percepções e acaba julgando de forma errada as informações do ambiente. Por exemplo, aumentar alguns gramas na balança já é considerado como uma condenação ao fracasso da reeducação alimentar (RA). Ficar imaginando que tudo vai dar errado, abala a motivação para seguir em frente e torna o emagrecimento ainda mais difícil. Esse autoboicote pode se fortalecer cada vez que a ansiedade te faz buscar provas de que é incapaz de conseguir. Ao lembrar-se de outras dietas que seguiu e não te ajudaram a chegar à meta de peso, certamente contribuirá para que nos momentos de ansiedade pensamentos como “Tá vendo, eu já falhei outras vezes. Eu não consigo, não vou me arriscar mais uma vez”, ou ainda “Sou incapaz… não vai dar certo… todo mundo vai continuar me julgando… vão me achar ridículo!”, venham à tona.
Bom, como já deu para perceber, para lidar com a ansiedade é preciso provocar uma mudança de dentro para fora. Se não controlada, ela pode se tornar uma grande barreira entre você e o sucesso da reeducação alimentar. Portanto, chegou o momento de arregaçar as mangas e tomar as rédeas da situação.
A incerteza sempre existe. Não é possível saber o que exatamente acontecerá no futuro, muito menos garantir que tudo sairá do jeito que se espera. Passar horas ansioso não fará diferença alguma no resultado. Evite pensamentos como “e se eu não conseguir”, “não quero engordar tudo de novo”, entre outros. Esse tipo de preocupação somente fará você gastar tempo demais imaginando o que vai acontecer, deixando de lado o mais importante: aproveitar o presente. Substitua esse tipo de pensamento, por outros que te ajudem a olhar outro lado da situação. Reflita: como seria se você pensasse diferente?
– Quando a ansiedade vem, a tendência é interpretar tudo de forma muito mais perigosa e negativa do que realmente é. Tente enxergar as situações temidas ou desejadas como algo mais tangível e possível, sem generalizar. O que deseja pode dar certo tanto quanto pode dar errado e, o ideal é saber que você está fazendo o seu melhor para que dê certo. Além disso, sempre há formas de seguir em frente, caso algo não ocorra exatamente como pretende.
Faça uma coisa por vez e foque no que está fazendo hoje sem se preocupar tanto com o amanhã. Você só tem dois braços e um cérebro, portanto se dedique a resolver uma pendência de cada vez, ao tentar realizar várias tarefas ao mesmo tempo você corre o risco de perder o foco, gastar mais tempo, acabar se frustrando e achando que não consegue fazer nada direito, ou seja, fortalece a ansiedade.
Reserve um momento da correria do dia a dia para fazer o que realmente gosta. Pense no seu projeto pessoal, como voltar a estudar, começar a praticar exercícios e se programe para realizá-lo. Se empenhe para colocá-lo em prática, determine um prazo para começar e o torne a sua maior prioridade do dia. Nesse momento, aproveite e tente afastar as preocupações e foque apenas no que sente ao se dedicar a ele. Não sabe o que gosta? Descubra! Comece respondendo: o que te motiva? O que te faz feliz?
Evite pessimismo e reúna esforços para encontrar saídas. Em situações de ansiedade, tente dimensionar a gravidade da situação, questione a si mesmo se existe algo que você pode fazer hoje para solucionar o problema. Preste atenção se não está superestimando o seu grau de responsabilidade, ou ainda, subestimando o seu grau de controle do que pode acontecer. Ao conhecer melhor a situação, substitua pensamentos negativos por outros. Isto certamente não é fácil de ser feito, mas é possível, tente! Comece pensando o que te impede a chegar no seu melhor? E o que te ajudaria a chegar lá?
Recicle suas crenças. As crenças que guarda dentro de si podem ser mais poderosas do que eventuais pensamentos angustiantes, alguns exemplos são os sentimentos de incapacidade, complexos de inferioridade, timidez, conformismo, necessidade de ser perfeito (autocobrança). Essas crenças tem o poder de transformar a irrealidade em verdade absoluta, ou seja, uma pessoa que se considera tímida, acredita que jamais será capaz de falar em público ou expor suas ideias, o que pode deixá-la ainda mais angustiada e ansiosa. Não há nada que diga que você é obrigado a acreditar em alguma coisa, só porque um dia acreditou nela. Duvide, critique e tome decisões, foque no que você pode fazer diferente, esse é o segredo para fazer a chamada higiene mental.
Se for preciso, busque ajuda!
Mesmo conhecendo as causas da ansiedade e tentando mudar o estilo de vida, muitas pessoas podem sentir dificuldade em lidar com as emoções e controlar a ansiedade. Se esse é o seu caso, o tratamento com um psicólogo é a melhor escolha. Com a psicoterapia, é possível fazer uma reestruturação cognitiva, além de ter um profissional especialista em comportamento te acompanhando de perto.
O tratamento com medicamentos também pode ser uma alternativa. Por mais que muitas pessoas ainda tenham preconceito com relação ao psiquiatra, ele é o profissional mais preparado para ajudar no controle da ansiedade, através dos medicamentos.
Viu só? A ansiedade pode ser mais do que uma simples inquietação. Se não controlada pode se transformar em um transtorno de ansiedade mais grave ou até mesmo as fobias. Você não quer entrar nessa, não é!?

Ana Carolina Icó
Nutricionista da equipe Dieta e Saúde
CRN3: 34133