Arquivo da tag: alimentação saudável

O que são alimentos antioxidantes?

antioxidantes

Conheça alimentos ricos em antioxidantes

Por definição, antioxidantes são substâncias capazes de atrasar ou inibir a oxidação de um substrato oxidável. Seu papel é proteger nossas células saudáveis contra a ação oxidante dos radicais livres, que são moléculas produzidas naturalmente pelo nosso corpo durante, por exemplo, a respiração.

O que são radicais livres?

Os radicais livres podem causar diversos danos à saúde, e nosso corpo tenta neutralizá-los produzindo moléculas próprias para isso: os antioxidantes. Porém, nem sempre o corpo produz antioxidantes suficientes para neutralizar a ação dos radicais livres. Quando isso acontece, podemos sofrer de envelhecimento precoce e até adquirir doenças degenerativas, como artrite reumática, aterosclerose e alguns tipos de câncer.

Alguns hábitos podem aumentar o número de radicais livres no nosso organismo. Alguns deles são o consumo excessivo de álcool, alimentos gordurosos, sedentarismo, estresse, e hábito de fumar. A parte boa é que também conseguimos aumentar a quantidade de antioxidantes no nosso corpo. Basta manter uma alimentação saudável e balanceada.

Confira as principais substâncias antioxidantes e em quais alimentos você pode encontrá-las:

Substância antioxidante

Alimentos

Licopeno

Tomate, melancia, morango, goiaba, pitanga, beterraba.

Betacaroteno

Cenoura, abóbora, mamão, damasco, manga, batata-doce.

Flavonoides

Chá verde, brócolis, salsa, frutas e legumes, suco de uva integral, morango, nozes, chocolate amargo.

Vitamina A

Fígado, gema de ovo, leite, manteiga, folhas verde-escuras, frutas e hortaliças de cor amarela e laranja.

Vitamina C

Frutas cítricas (laranja, kiwi, acerola, abacaxi, entre outras), tomate e pimentão.

Vitamina E

Óleos vegetais, gema de ovo, frutas oleaginosas, gérmen de trigo e manteiga.

Cobre

Fígado, nozes, leguminosas e cereais integrais.

Selênio

Leite, manteiga, pão integral, aveia, camarão e castanha do brasil.

Zinco

Leite, queijos, ovos, fígado, leguminosas, farelo de trigo, carnes e nozes.

Saiba mais:

Aprenda a diferença entre alimentos diet, light, funcionais e suplementos

Sedentarismo deixa mulheres até 8 anos mais velhas

Benefícios do vinho

Ótimos motivos para incluir uma taça de vinho no seu dia a dia

Quem não gosta de uma boa taça de vinho nos dias frios? Se vier acompanhado de uma boa massa, melhor ainda! A boa notícia é que já foi comprovado cientificamente que o seu consumo moderado traz vários benefícios à nossa saúde. A seguir, confira a lista de vantagens que essa bebida pode te proporcionar:

Benefícios do vinho para a pele

Os flavonóides presentes no vinho tinto são ricos em polifenóis que têm capacidade antioxidante muito maior em comparação com as vitaminas C e E, que são utilizadas em cosméticos. Por isso, ele é um excelente agente antienvelhecimento para a nossa pele!

Benefícios do vinho para o coração

Você sabia que o consumo diário de vinho pode diminuir o risco de doenças cardíacas? É verdade! Algumas substâncias encontradas na casca e sementes da uva ajudam a melhorar a circulação do sangue, trazendo ótimos benefícios para nosso órgão vital.
A uva, base da produção do vinho, é rica em flavonoides que atuam como antioxidantes e melhoram a função vascular. Isto é, as artérias se dilatam melhor e, com isso, o acúmulo de placa de gordura é reduzido.

Doenças respiratórias

Em um estudo feito na Universidade de Búfalo, nos Estados Unidos, foi observado que pacientes portadores de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) tiveram seus sintomas reduzidos após o consumo moderado de vinho.

Ajuda a controlar a diabetes

O vinho melhora a sensibilidade das células à insulina e também melhora o seu aproveitamento pelo organismo, diminuindo que se formem plaquetas.

Faz bem para os ossos

A quercetina é um dos polifenóis presentes e essa substância age nos receptores ósseos estimulando as células que formam a matriz do osso (osteoblastos) e reduzindo a ação das células que destroem o osso (osteoclastos).

Faz bem para a visão

Pesquisadores da Universidade de Western Ontario, no Canadá, concluíram que consumir um copo dessa bebida todos os dias pode diminuir o risco de cataratas em 50%.

Melhora a qualidade de vida

De acordo com a escola de medicina da Universidade de Boston, consumi-lo moderadamente leva a melhores resultados em testes de habilidade, mobilidade, emoção e, até mesmo, aumenta suas chances de entrar na meia-idade!

Vinho é bom e faz bem, mas vá com calma

Tenha sempre em mente que qualquer tipo de excesso faz mal. Se você consumir vinho em excesso, é bem provável que logo você notará algumas mudanças desconfortáveis na sua silhueta e no ponteiro da balança.

Saiba mais:

Benefícios da batata-doce

Como preparar marmitas saudáveis

Kefir promete emagrecer e melhorar seu intestino

Batata-doce: conheça os seus benefícios

Além de ser uma ótima aliada no emagrecimento, é super benéfica para a saúde!

Getty Images – Batata-doce

A batata-doce é uma das hortaliças mais cultivadas no nosso país. Embora seu uso só tenha ficado mais popular ultimamente, ela já é um alimento milenar! Originária da América Central do Sul, ela é encontrada desde o México até a Colômbia. Sua aparência pode variar um pouquinho, podendo ser amarelada, branca ou roxa.
Será que a batata-doce só ficou popular por se tratar de mais um modismo do mundo fitness ou será que ela, realmente, é um ótimo alimento para se incluir na alimentação?
Felizmente, a resposta correta é a segunda opção.

Batata-doce emagrece?

Como já sabemos, nenhum alimento por si só tem a capacidade de retirar a gordura corporal de alguém. O que emagrece é a qualidade da dieta por completo. Não adianta comer batata-doce o dia todo e depois se entupir de doces, certo?
No entanto, ela pode, sim, ajudar no emagrecimento. A batata-doce, por possuir alto teor de fibras e baixo índice glicêmico, ajuda você a se manter saciado por mais tempo. Além disso, alimentos com essa característica liberam o açúcar no sangue aos poucos – ao contrário dos alimentos com alto índice glicêmico – e promovem uma digestão mais lenta, que favorece a perda de peso.

Batata-doce faz bem para a saúde?

Com certeza, faz! É um alimento rico em vitamina A, vitaminas do complexo B, cálcio, fósforo e ferro. Ela também possui um amido resistente que, por ser uma fibra insolúvel, resiste às enzimas do intestino delgado – que não é capaz de digeri-lo – e atrai as moléculas de gordura e de açúcar, que é, também, o motivo de ser um alimento de baixo índice glicêmico. Esse mecanismo também ajuda na prevenção e tratamento de diabetes tipo 2!

Devo comer com a casca?

Você não vai morrer se comer sem casca. Contudo, se puder comer com a casca, será muito melhor. Só a casca da batata-doce pode ter mais vitamina C do que uma laranja inteira! Sem falar que é na casca que encontramos as fibras e o potássio. Que tal experimentar batata-doce assada sem tirar a casca? Fica uma delícia e contribui para a sua dieta!

Assada ou cozida?

Quando assamos a batata-doce, o índice glicêmico dela aumenta. Isso ocorre porque o calor desidrata o alimento e quebra os grânulos de amido. Quando cozida, o índice glicêmico não aumenta, pois a presença de água dificulta a quebra do amido.
Portanto, cabe a você escolher – de maneira inteligente – o momento ideal para consumi-la na forma assada ou cozida. Porém, se o objetivo é o emagrecimento, cozir será sempre a melhor opção.

| • Quer emagrecer sem deixar de comer o que gosta? Clique aqui e faça sua avaliação de peso. É de graça!

Saiba mais:

Como fazer marmitas saudáveis?

Kefir: conheça o alimento que promete emagrecer e melhorar seu intestino

O que comer à noite para não engordar?

Boa relação entre mãe e filho reduz risco de obesidade na adolescência

Falta de sensibilidade materna dobra o risco da doença

A qualidade do relacionamento entre a mãe e o seu pequeno pode afetar a probabilidade de a criança desenvolver obesidade durante a adolescência, sugere novo estudo realizado pela Ohio State University (Estados Unidos). Os resultados aparecem no periódico Pediatrics.

Para chegar à conclusão, os estudiosos analisaram dados de 997 participantes do Study of Early Child Care and Youth Development, um projeto do Eunice Kennedy Shriver National Institute of Child Health and Human Development. A amostra inclui diversas famílias, cujas crianças nasceram em 1991.

Observadores treinados avaliaram o apego da criança à mãe e a sensibilidade materna, documentando as interações entre mãe e filho em três épocas: quando os pequenos tinham 15, 24 e 36 meses de idade. Para medir a sensibilidade materna, as mães foram instruídas a brincarem com seus filhos, enquanto os pesquisadores pontuavam vários aspectos do comportamento da mãe, o que inclui apoio e respeito pela autonomia da criança, assim como sinais de intromissão e hostilidade.

Os investigadores também avaliaram a segurança na relação de crianças de 15 e 36 meses com a mãe, monitorando os momentos de separação e reencontro com suas mães. Aos 24 meses de idade, os pesquisadores avaliaram essa segurança observando o relacionamento em casa.

A sensibilidade maternal se refere à habilidade da mãe em reconhecer o estado emocional de sua criança e responder com conforto, consistência e carinho. Psicólogos descrevem uma criança com ligações seguras com sua mãe como aquelas que têm nos pais uma espécie de “porto seguro”, o que permite que os pequenos explorem os ambientes de forma livre, se adaptem às pessoas facilmente e sejam confortadas em situações de estresse. Crianças de um a três anos que possuem ligações inseguras tendem a ter experiências negativas com seus pais e podem responder ao estresse com raiva extrema, ansiedade e evitar ou recusar interação com outras pessoas.

Índice de qualidade mãe-filho
Usando estes fatores – sensibilidade materna e segurança na ligação da criança com sua mãe – os pesquisadores desenvolveram um índice de qualidade de relação mãe-filho, que variava de zero a seis e servia para medir a experiência de relacionamento dos pequenos: cada ponto refletia uma amostra de ligação insegura da criança ou baixa sensibilidade da mãe. Uma pontuação igual ou maior a três indicava um relacionamento de qualidade pobre.

Depois, os pesquisadores calcularam o índice de massa corpórea (IMC) da criança usando seu peso e altura em idade próxima aos 15 anos. O IMC foi convertido em percentuais por idade e sexo, com base na tabela de crescimento desenvolvida pelo Centers for Disease Control and Prevention. De acordo com essas diretrizes, a criança foi considerada obesa se o percentual foi equivalente ou maior a 95 nessa tabela.

Ao todo, 241 crianças (ou 24,7%) foram classificadas como portadoras de um relacionamento pobre com suas mães durante a infância. Entre elas, a prevalência de obesidade na adolescência foi de 26,1%. A ocorrência de obesidade foi menor entre aqueles que mantiveram boas relações: 15,5%, 12,1% e 13% entre mães e filhos com pontuação de dois, um e zero, respectivamente. Desse modo, os pequenos que tiveram relacionamentos de baixa qualidade com suas mães logo no começo da vida eram quase duas vezes e meia mais propensos à obesidade quando adolescentes do que aquelas crianças que mantiveram relacionamentos melhores com suas mães.

Para os pesquisadores, a associação entre as experiências durante a infância e a obesidade na adolescência tem origem no cérebro. O sistema límbico do cérebro controla a resposta ao estresse, assim como o ciclo sono-vigília, fome e sede e mais uma variedade de processos metabólicos, principalmente por meio da regulação hormonal. Eles acreditam que pais sensíveis criam um vínculo afetivo saudável com seus pequenos, melhorando a resposta ao estresse. Essa resposta bem regulada pode interferir na forma como a criança dorme e se ela come em resposta à angústia emocional – e esses são dois dos fatores que influenciam a probabilidade de obesidade.

A obesidade pode ser uma manifestação de irregularidades no funcionamento do sistema de resposta ao estresse. Os pais ajudam a criança a desenvolver a habilidade de responder de maneira saudável ao sentimento, protegendo o seu pequeno de níveis extremos de estresse.

Pais omissos geram crescimento da obesidade infantil
Falta pulso firme aos pais na hora de controlar a dieta dos filhos. A conclusão é de um estudo, realizado na Escola de Medicina de Harvard (EUA), a respeito do crescimento dos casos de obesidade infantil. Após acompanhar a rotina de 440 pais de crianças com sobrepeso ,os médicos descobriram que o problema, na maioria das vezes, não está na falta de informação: os adultos sabem o que prejudica a saúde dos filhos, mas sentem-se inseguros em proibir os maus hábitos.

Os pais foram estimulados a vetar a televisão na hora das refeições, reduzir o consumo de fast-food, cortar os refrigerantes, obrigar a prática de exercícios físicos e aumentar o número de refeições feitas. Mas nem sempre as mudanças aconteceram: muitos adultos sentiam-se castigando as crianças ao assumir algumas das medidas as limitações quanto ao uso da televisão e as refeições em família foram as regras mais desrespeitadas. O grupo incluía pais de crianças com idades entre dois e doze anos.

“As crianças aprendem muito com os exemplos. Se os pais proíbem as refeições em frente da televisão, mas fazem lanches na cama, perdem a autoridade”, afirma a nutricionista do MinhaVida, Roberta Stella. “Para manter a saúde e o peso ideal, a rotina de toda a família precisa ser saudável. Sem diferenças, fica mais fácil manter a linha: se ninguém em casa toma refrigerante, por exemplo, a tentação some da geladeira”

O estudo também identificou que os adultos que se mantinham no peso ideal mostraram-se mais à vontade para impor as proibições às crianças ao contrário dos pais obesos, mais relutantes em manter as restrições. A autoconfiança também se apresentou diretamente proporcional ao nível de estudo dos pais: aqueles com graduação superior mantiveram-se mais firmes.

Como manter a dieta no final de semana

8 dicas para curtir o fim de semana sem peso na consciência

Embora seja normal sair da rotina nos dias de descanso, muitos vêem o fim de semana como um vilão. Para quem está fazendo uma reeducação alimentar essa é uma visão errônea. Restringir a alimentação, além de desnecessário, pode ser contraproducente. Não é necessário abrir mão da vida social e recusar as festas com os amigos. Contudo, tomar decisões de maneira consciente é de extrema importância. Visto que o processo de emagrecimento é uma conquista diária, separamos algumas dicas para você aprender a fazer escolhas mais saudáveis no final de semana.

1. Tente manter todas as refeições diárias

Você sabe que é final de semana, mas o seu corpo não sabe. Para ele, tanto faz o que você vai fazer ou deixar de fazer: ele vai continuar trabalhando do mesmo jeito. Por isso, é importante dar a devida atenção ao seu corpo e nutri-lo com todos os nutrientes necessários. Não pule o café da manhã e não fique muito tempo sem comer.

2. Não saia de casa em jejum

Hoje tem aquela festa e você – se achando a esperta – quer ficar sem comer o dia inteiro pra poder comer tudo mais tarde? Péssima escolha. Além de desacelerar seu metabolismo por ficar tanto tempo sem comer, você vai exagerar 3 vezes mais na festa do que se você tivesse se alimentado normalmente durante o dia.

3. Faça substituições inteligentes

Vai jantar fora? Que tal trocar as frituras por versões assadas? Ou trocar as bebidas açucaradas por uma taça de vinho? Ao invés de chocolate ao leite, que tal chocolate amargo? Quer ver um filminho com pipoca? Por que não experimentar uma versão sem óleo? É possível fazer trocas simples que vão continuar sendo deliciosas, porém muito mais saudáveis.

4. Tenha um lembrete para beber água

Pode reparar: você bebe muito menos água no fim de semana. Isso porque você esquece que seu corpo não está interessado em qual dia é hoje. Não importa se você está de férias ou se é feriado, seu organismo continuará precisando de nutrientes. Se você é um pouco mais esquecido, uma boa dica é baixar o Dieta e Saúde. Assim, você não esquece de beber água e ainda aprende a se alimentar.

5. Busque manter as atividades físicas

Vamos repetir isso até o final da matéria: seu corpo não quer saber qual dia é hoje. Ele precisa dos mesmos estímulos e da mesma quantidade de nutrientes necessários para um bom funcionamento. Por isso, é importante que você mantenha uma atividade física no final de semana, mesmo que com intensidade menor. Se você quer sair pra comer fora com os amigos mais tarde – e sabe que vai dar aquela exagerada – os exercícios devem fazer parte do seu dia.

Saiba mais:

O que comer antes de dormir?

Veja como diminuir a vontade de comer doces

Aprenda a fazer marmitas saudáveis

Você tem fome de que?

Descubra os reais motivos que te levam ao excesso alimentar e emagreça.

Um dos grandes desafios para a maioria das pessoas é saber diferenciar a fome da vontade de comer, e aprender a comer somente quando estiver com fome.

De acordo com os dicionários, a fome é um processo fisiológico pelo qual o corpo indica que necessita de alimento para manter suas atividades compatíveis com a vida. Por se tratar de uma necessidade fisiológica, qualquer alimento consumido gera a sensação de saciedade.

Já a vontade de comer, pode surgir até mesmo quando a pessoa terminou uma refeição ela está geralmente associada a um alimento especifico e que traga prazer e satisfação. Neste caso, podemos até substituí-lo por outro alimento, mas o desejo permanece.

Para algumas pessoas os alimentos podem funcionar como “válvula de escape” para satisfazer insatisfações pessoais, no entanto esta atitude pode levar ao consumo excessivo de calorias, desencadeando um quadro de sobrepeso, uma vez que o individuo estará consumindo mais energia que seu organismo necessita.

Por isso é fundamental aprender a identificar se você está comendo por fome ou apenas por vontade, assim ficará mais fácil resolver as situações sem recorrer aos alimentos. Além disso, é essencial estabelecer uma rotina alimentar, estipulando horários para cada refeição, sempre respeitando o intervalo máximo de 4 horas entre cada uma e se a vontade permanecer por que não encaixar o alimento de desejo no lanche da tarde ou da manhã, por exemplo, mas esta substituição não deve ser feitas todos os dias.

E lembre-se: comer de forma adequada exige treino e comprometimento, por isso antes de ?atacar? aquele alimento, reflita: estou realmente com fome ou é apenas uma vontade? Essas calorias a mais valem mesmo à pena?

Com essa simples pergunta, você certamente obterá muitas respostas.

Gabriela Mendes Taveiros
Nutricionista Dieta e Saúde
CRN3 32089

6 dicas para comer bem no self service

Confira como não passar mais aperto!

Atualmente, os restaurantes self service são muito procurados, devido à diversidade de preparações que agrada a todos os paladares. Mas, e para quem deseja perder peso, será que é possível fazer escolhas saudáveis, que não irão comprometer a eliminação de peso? Para lhe ajudar, separamos algumas dicas. Fique atento!

Veja todas as opções: analisar todas as preparações disponíveis antes de montar o prato, irá te ajudar a decidir qual é o prato desejado, evitando possíveis exageros. Se você começa a se servir sem olhar todas as opções, você corre o risco de encontrar preparações que você gosta mais, e sua refeição ficar mais volumosa e calórica do que deveria.

 
Siga a ordem em que os alimentos estão dispostos: normalmente a disposição dos alimentos nos restaurantes self-service é iniciada com as saladas. Como esse grupo apresenta a menor quantidade calórica, iniciar sua refeição com esses alimentos irá te ajudar a montar um prato com diversidade de nutrientes, com poucas calorias e que ajudará em sua saciedade, já que os vegetais são ricos em fibras.

 
Cuidado com a variedade: esses restaurantes oferecem diversidade de preparações, desde as mais simples, as mais elaboradas. Dessa forma, se você pegar um pouquinho de cada alimento, terá um prato muito volumoso, e que ultrapassará sua necessidade calórica, que poderá levar ao aumento de peso. Por isso, moderação!

 
Divida seu prato em quatro partes: Uma parte ficará reservada para os vegetais crus e cozidos, outra para o acompanhamento (arroz, macarrão, batata), uma para leguminosas (feijão, ervilha, lentilha, grão de bico) e outra para o prato principal (carnes ou ovos).

 
Molhos e temperos: tenha moderação e atenção aos rótulos dos molhos industrializados! Dependendo do molho (quatro queijos, parmesão, rosé) são mais calóricos. Além das calorias, também observe a quantidade de sódio, conservantes e corantes, presentes nesses produtos. A melhor opção é o vinagrete, limão, vinagre ou azeite.

 
E quanto à sobremesa? As melhores escolhas são sempre as frutas, que são fontes de fibras, vitaminas e minerais essenciais para o funcionamento adequado do organismo. Não quer ou não consegue resistir ao doce? Escolha o mais simples e consuma um pedaço pequeno.

Com essas dicas, você perceberá que é possível se alimentar muito bem em restaurantes self service e ainda, emagrecer com saúde!

Gabriela Mendes Taveiros
Nutricionista Dieta e Saúde
CRN3 32089

Grupo Minha Vida compra o aplicativo TecnoNutri e se consolida como maior plataforma de emagrecimento e alimentação saudável do Brasil

Com 40 milhões de visitas por mês um dos objetivos do grupo é se consolidar ainda mais como referência na busca de uma vida mais saudável.

São Paulo, 20 de maio de 2015 – O grupo Minha Vida tem como objetivo conscientizar sobre a importância da qualidade de vida por meio do fornecimento de conteúdo e serviços on-line. Um de seus produtos mais conhecidos é o aplicativo Dieta e Saúde, que oferece um melhor controle da dieta para aqueles que buscam uma reeducação alimentar com ênfase na perda de peso.

Com uma metodologia própria, o aplicativo transforma a quantidade e as informações nutricionais dos alimentos em pontuação para o usuário controlar sua alimentação de acordo com seu objetivo. Agora o grupo também conta com o TecnoNutri, um serviço mais voltado para acompanhar a busca crescente do mercado de alimentação saudável, abrangendo também as pessoas que querem ganhar peso ou apenas manter uma dieta mais nutritiva.

Com aquisição do aplicativo, o grupo pretende atingir cerca de 10 milhões de usuários para o TecnoNutri até 2020 – hoje o app conta com 3 milhões.

A partir de agora, juntos, o Dieta e Saúde e TecnoNutri somam mais de 8 milhões downloads, 1 milhão usuários únicos/mês, 300 milhões de alimentos inseridos, 100 milhões de horas de exercícios e mais de 5 milhões de quilos perdidos.

Para o CEO do Grupo Minha Vida, Daniel Wjuniski, a TecnoNutri vem fazendo um trabalho surpreendente em levar os princípios de uma alimentação saudável para milhões de brasileiros por meio de tecnologia, informação e ciência. “A busca por mais qualidade de vida vem crescendo, e esse fator está diretamente ligado à alimentação, que é um dos propósitos do Minha Vida. A ideia é consolidarmos ainda mais o grupo como referência e os serviços como auxilio para população. Temos um alinhamento importante de propósito e estamos muito animados em poder solidificar essa conscientização sobre alimentação equilibrada com o time TecnoNutri”, reforça o CEO.

No Brasil, o mercado de alimentação saudável nunca esteve tão aquecido, segundo relatório divulgado recentemente pela consultoria Euromonitor. A empresa aponta que as vendas no setor dobraram nos últimos cinco anos, alcançando patamares de 98%. Em contrapartida, a obesidade também cresce a passos largos com a industrialização e maus hábitos alimentares – são 60 milhões de brasileiros acima do peso e 22 milhões obesos, segundo estudo divulgado nos EUA no último ano.

“Desenvolvemos ao longo destes anos, um aplicativo que ajuda a melhorar o estilo de vida de muitas pessoas, isto por meio de ferramentas orientadas para uma alimentação mais saudável. E estamos muito satisfeitos por saber que nosso produto agora faz parte de uma das principais plataformas de saúde no país”, pontua o fundador do TecnoNutri, Márcio Freitas.”

Mais informações:
http://www.dietaesaude.com.br/
http://www.tecnonutri.com.br/
http://www.minhavida.com.br

 
Grupo Minha Vida

O Grupo Minha Vida visa melhorar a qualidade de vida da população, despertando em cada um a importância do cuidado com a sua própria saúde. E quando falam em saúde, não se referem apenas à prevenção ou ao tratamento de doenças, mas também a pequenas mudanças de hábitos capazes de transformar positivamente o dia a dia das pessoas. O grupo conta com a parceria de mais de 700 especialistas e profissionais de saúde na elaboração de seus conteúdos.

Contatos para Imprensa
Alberto Madjer Vieira|albertomadjer.vieira@edelmansignifica.com |11 3060-3159
Fernanda Nascimento|fernanda.nascimento@edelmansignifica.com |11 3060-3152

Quer mais cor e sabor para seus pratos? Invista nos legumes e verduras!

Oi pessoal!

Essa semana nossa nutri Carol recebeu algumas dúvidas de pessoas que não gostam e legumes e verduras, e tem dificuldade de entender o porquê precisamos desses alimentos. Pensando nisso, ela escreveu um pouco sobre alguns nutrientes que encontramos nesse grupo alimentar. 🙂

Os benefícios dos legumes, frutas e verduras estão relacionados em sua maioria aos pigmentos responsáveis por sua cor e que atuam no organismo prevenindo danos às células e, consequentemente, o envelhecimento precoce e o desenvolvimento de alguns tipos de cânceres. Por isso, vale a pena conhecer todos os benefícios que as cores têm a oferecer para nossa alimentação.

Frutas, legumes e verduras de cor vermelha e alaranjada como o tomate, cenoura, abóbora e pimentão contêm elevadas quantidades de licopeno, um componente da vitamina A importante para a saúde dos olhos e pele.

foto2

O licopeno é também um potente antioxidante que se mostrou eficiente na prevenção de doenças cardiovasculares e cânceres, em especial o de próstata. A vitamina C, nutriente associado ao bom funcionamento do sistema imunológico é o principal nutriente encontrado em legumes de cor amarela como o pimentão.

Brócolis, espinafre, rúcula, agrião, almeirão, couve e outras hortaliças de cor verde escura são ótimas fontes de cálcio, fósforo e ferro, minerais essenciais para o fortalecimento de ossos e dentes, diminuição da fadiga e produção de glóbulos vermelhos do sangue respectivamente. Essas hortaliças apresentam ainda alto teor de vitamina K, nutriente fundamental para o processo de coagulação do sangue.

foto3

A cor roxa da beterraba, berinjela, repolho roxo, alcachofra e cebola roxa está relacionada à presença de antocianinas, compostos antioxidantes que auxiliam na prevenção de cânceres e doenças cardiovasculares.

foto4

 

foto5

Já os legumes e verduras de cor branca como alho, couve-flor, nabo, aipo e cebola branca são ricos em vitaminas do complexo B que auxiliam na produção de energia e bom funcionamento do sistema nervoso. O alho tem como principal composto ativo a alicina, um componente liberado quando o alimento é macerado ou cortado e que possui ação anti-inflamatória, antiviral, antibacteriana, além de favorecer a diminuição da oxidação de colesterol reduzindo o risco para doenças cardiovasculares.

foto6

foto7

Lembre-se que um prato colorido tem o conjunto de compostos (antioxidantes, vitaminas e minerais) que seu corpo precisa para funcionar diariamente em equilíbrio, se desintoxicar (sim, comer um prato colorido é verdadeiramente detox!) e prevenir doenças.

Capriche na cor do seu prato e varie ao máximo os legumes, verduras e frutas. Não se esqueça de completar com cereais integrais! Nada de pratos sem cor, ok!?

Ótima semana para todos! =D

Ana Carolina Icó
Nutricionista Dieta e Saúde
CRN3: 34133

Aposte nas frutas congeladas neste verão! ;)

Ah o verão! Eita época gostosa do ano!

Tudo é simples e delicioso, desde um mergulho na piscina ou no mar, quanto se refrescar com um belo picolé de frutas! Verão é também uma época de novas tendências e esse não seria diferente. A mais nova moda do verão são as frutas congeladas!

Pois é, para quem quer inovar, experimentar algo novo ou simplesmente se refrescar com algo nutritivo quanto o picolé a aposta é comer as frutinhas congeladas!

A verdade é que há muito tempo as polpas de frutas congeladas nos salvam nos momentos de calos, afinal quem nunca preparou um belo suco com algumas polpas. Sem falar que congelar frutas é também um bom jeito de evitar perdas, por exemplos, congelar um abacaxi inteiro permite que se tenha suco da fruta por pelo menos um mês inteiro!

As polpas ainda são uma boa idéia para sentir o gosto da sua fruta preferida quando ela estiver fora de época, dá até para fazer em casa os seus próprios congelados. Basta liquidificar as frutas com um pouco de água (o suficiente para formar uma pasta), sem adoçar. Vale a pena, investir essa técnica com aquelas frutinhas que nem sempre temos a disposição, por exemplo a cereja fresca que só encontramos no final de ano.

Acredito que a incerteza da qualidade nutricional das frutas congeladas ainda é frequente entre algumas pessoas. Por isso, gosto sempre de dizer que frutas congeladas são também nutritivas e podem sim fazer parte da nossa RA!

Claro que a forma ideal de comer qualquer fruta, legume ou verdura é na sua versão fresca, afinal é assim que conseguimos preservar e levar a maior concentração de vitaminas e minerais para o nosso prato. Ao cortar, descascar, bater o suco e deixar na geladeira, congelar e peneirar a polpa temos sim algumas perdas de nutrientes, especialmente vitaminas sensíveis a temperatura, entretanto isso NÃO quer dizer que o alimento não tem mais nada de nutriente, a MAIORIA de seus nutrientes permanece lá!

Pensando nisso, lá vai 3 ideias diferentes de receitas com frutas congeladas para esse verão! =D

– PICOLÉ DE FRUTAS COM ÁGUA DE COCO

Corte frutas de sua preferência e disponha em forminhas de picolé. Preencha com água de coco até a borda, coloque os palitinhos e leve ao freezer!

blog2

 

– SORVETE DE BANANA

Congele duas bananas nanicas sem a casca. Bata em um liquidificador ou processador de alimentos, as bananas congeladas com os morangos até formar um creme homogêneo. Prontinho! Se não tiver morango você pode colocar um colher de cacau em pó ou achocolatado light (fica tipo sorvete de chocolate).

blog3

 

– FRUTAS CONGELADAS

Uvas sem caroço, framboesas, cerejas, amoras ficam deliciosas congeladas! Basta colocar em um recipiente de vidro, cobrir com filme plástico e levar ao freezer por cerca de 1 a 2 horas!

blog6

 

Ótima semana!

Ana Carolina Icó
Nutricionista Dieta e Saúde
CRN-3 34133